Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2
Ao minuto Atualizado às 11:58 | 09/02

Testemunha no caso da morte de Ihor no Aeroporto de Lisboa diz que vários colegas do SEF usavam bastão extensível

No julgamento desta terça-feira são ouvidos inspetores do SEF.
Débora Carvalho 9 de Fevereiro de 2021 às 11:58
Ihor Homeniuk
Ihor Homeniuk FOTO: Direitos Reservados
Decorre esta terça-feira mais uma sessão do julgamento dos inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) sobre a morte do cidadão ucraniano, Ihor Homeniuk, no Aeroporto de Lisboa, em março de 2020. 

No julgamento desta terça-feira, que ocorre no Campus da Justiça, em Lisboa, são ouvidos inspetores do SEF que são considerados testemunhas no caso. 
Ao minuto Atualizado a 9 de fev de 2021 | 11:58
11:30 | 09/02
Tanto Cristina Gatões, ex-diretora do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), como Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna, garantiram que os bastões extensíveis não fazem parte do equipamento do SEF e que não foram distribuídos pelos inspetores.
11:29 | 09/02
Um inspetor do SEF, ouvido hoje como testemunha no julgamento da morte do ucraniano Ihor Homeniuk, afirmou que vários colegas usavam bastão extensível, tal como um dos arguidos (o inspetor Luís Silva).Rui Tártaro não soube, no entanto, dizer quantos funcionários o usavam ou se o material tinha sido fornecido pelo SEF.

"Teve formação na utilização de bastão extensível?", perguntou a advogado Maria Manuel Candal, defensora do arguido Luís Silva. A testemunha respondeu negativamente, acrescentando: "sei que os colegas das formações mais recentes sim [tiveram formação].

As declarações da testemunha contrariam o próprio serviço.
11:28 | 09/02
Começou a sessão do julgamento aos inspetores do SEF.
SEF Ihor Homeniuk Aeroporto de Lisboa crime lei e justiça julgamentos
Ver comentários