Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Tiro acidental mata militar

Um tiro acidental na cabeça, desferido com a arma de serviço, matou anteontem à noite, cerca das 23h55, um militar da GNR no posto de Monchique, no Algarve. A vítima, um jovem de 27 anos, ingressara na GNR em 2007 e encontrava-se colocado naquele posto há cerca de dois anos.
31 de Maio de 2011 às 00:30
Jovem militar, natural de Almodôvar, prestava serviço no posto da GNR de Monchique há cerca de dois anos
Jovem militar, natural de Almodôvar, prestava serviço no posto da GNR de Monchique há cerca de dois anos FOTO: Miguel Veterano Júnior

O acidente deu-se na altura em que o militar, Filipe Silvestre, natural de Almodôvar, Alentejo – mas que durante anos viveu com os pais na Grande Lisboa –, se preparava para entrar ao serviço. Já tinha ido ao armeiro buscar a pistola que lhe está atribuída – uma Glock 19, de 9 milímetros – e encontrava-se com quatro colegas na zona de atendimento. Foi então que decidiu manusear a arma e terá puxado o gatilho, sem se aperceber de que a arma estava municiada. Foi atingido com uma bala na cabeça. Os colegas correram em seu auxílio, colocando um lençol à volta da cabeça da vítima para tentar estancar o sangue, e uma equipa médica do INEM tentou, durante cerca de uma hora, a reanimação. Chegou a ser equacionado o envio de um helicóptero, mas a morte seria declarada no local.

A GNR vai avançar com um processo interno de averiguações, garantindo apoio psicológico à família da vítima e aos militares que presenciaram o acidente. A PJ tem a seu cargo a investigação do caso e recolheu a arma para a realização de perícias. 

MONCHIQUE TIRO GNR POSTO
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)