Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Tiro atrasa carreiras

Há agentes da PSP do Porto com a promoção em risco por, em 2006, não terem concluído um curso de técnicas de intervenção policial devido a falta de uma carreira de tiro.
7 de Junho de 2009 às 00:30
Polícias do Porto não acabaram curso de tiro por não haver carreira
Polícias do Porto não acabaram curso de tiro por não haver carreira FOTO: Nuno André Ferreira

A denúncia é feita ao CM pelo Sindicato Unificado de Polícia (SUP), que não descarta a existência de outros casos no País. "O curso em causa não terminou pois não foi dada uma carreira de tiro aos alunos para treinarem os disparos", disse ao CM Belmiro Pimentel, dirigente do SUP.

Já este ano, nos cursos de promoção, a PSP deu "importância essencial" a esta formação. "Estão a ser prejudicados face a quem acabou o curso posteriormente, já com uma carreira de tiro", acrescentou. Belmiro Pimentel avançou ainda que "há agentes com avaliações feitas por superiores com quem pouco têm contacto".

A Direcção Nacional da PSP assegurou ao CM que "existe um júri para todos os concursos da PSP, que avalia as denúncias dos concorrentes". "Quanto às avaliações, informamos que, face à hierarquia da PSP, os avaliadores têm várias formas de conseguir informações sobre os candidatos", disse.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)