Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Tiroteio na noite assusta moradores

Pouco passava da meia-noite de ontem quando os moradores do Bairro da Giesta, em Valbom, Gondomar, foram surpreendidos com o estrondo de vários tiros, seguido do som de vidros partidos.
14 de Junho de 2007 às 00:00
Balas atingiram vários veículos que se encontravam estacionados em frente ao Bairro da Giesta
Balas atingiram vários veículos que se encontravam estacionados em frente ao Bairro da Giesta FOTO: Cynthia Valente
Pouco passava da meia-noite de ontem quando os moradores do Bairro da Giesta, em Valbom, Gondomar, foram surpreendidos com o estrondo de vários tiros, seguido do som de vidros partidos.
“Parou aqui um carro com cinco indivíduos armados. Estavam umas 20 pessoas à porta do prédio. Dispararam dezenas de tiros e arrancaram”, explicou ao CM um dos moradores que testemunhou o incidente. O jovem, que não se quis identificar, afirmou ter-se tratado de um ajuste de contas “por causa de uma confusão com seguranças de uma discoteca”. “Eles queriam era atingir-nos, mas conseguimos fugir”, sublinhou a testemunha.
Os tiros – disparados por uma caçadeira e uma pistola – atingiram a janela de um apartamento, vários veículos que se encontravam estacionados e destruíram o vidro de uma paragem de autocarros. Não se registaram vítimas pessoais.
“Foi uma questão de sorte. Até crianças estavam aqui. Alguns fugiram para o cima da rua, outros entraram no prédio”, referiu o jovem morador. A testemunha afirmou ainda saber quem são os autores dos disparos: “Fomos apanhados de surpresa, mas sabemos quem são. Agora vamos tratar de nos vingarmos de tudo isto”, concluiu o morador.
Os habitantes do Bairro da Giesta, palco de vários incidentes, pedem mais vigilância policial. “Já contactámos várias vezes a câmara e a PSP, mas até agora nada foi feito”, desabafou outro morador.
HABITANTES VIVEM COM MEDO
Irene, de 62 anos, mora há mais de três décadas no Bairro da Giesta. A moradora afirmou ao CM que os habitantes vivem num clima de medo “quase insuportável”.
“Era um bairro muito sossegado. De há seis anos para cá começou o inferno. Temos medo de sair à rua e de noite ficamos trancados em casa”, explicou. Irene disse acreditar que os problemas da zona estão relacionados com o tráfico de droga.
“O tiroteio de ontem não foi o primeiro. Acredito que é por causa da droga que isto acontece”, referiu. O carro da moradora – Peugeot 206 – ficou danificado pelas balas que também atingiram uma carrinha estacionada ao lado do seu veículo. A PJ vai investigar o tiroteio.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)