Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

‘TóJó’ refugiado em casa

Homem que matou os pais em Ílhavo saiu da cadeia.
Paula Gonçalves 8 de Março de 2017 às 01:30
Advogado Pedro Vidal
Tó Jó será libertado no dia 7
António Jorge saiu em liberdade condicional
Médico Jorge Santos foi assassinado
Maria Fernanda, a mãe, também foi assassinada
Polícia Judiciária encontrou várias menssagens satânicas escritas por Tó Jó
Material apreendido pela PJ no processo
PJ apreendeu diversas armas brancas
António Jorge durante a reconstituição do crime, em 2000
A família Macahado, com as vítimas Jorge e Maria,
Advogado Pedro Vidal
Tó Jó será libertado no dia 7
António Jorge saiu em liberdade condicional
Médico Jorge Santos foi assassinado
Maria Fernanda, a mãe, também foi assassinada
Polícia Judiciária encontrou várias menssagens satânicas escritas por Tó Jó
Material apreendido pela PJ no processo
PJ apreendeu diversas armas brancas
António Jorge durante a reconstituição do crime, em 2000
A família Macahado, com as vítimas Jorge e Maria,
Advogado Pedro Vidal
Tó Jó será libertado no dia 7
António Jorge saiu em liberdade condicional
Médico Jorge Santos foi assassinado
Maria Fernanda, a mãe, também foi assassinada
Polícia Judiciária encontrou várias menssagens satânicas escritas por Tó Jó
Material apreendido pela PJ no processo
PJ apreendeu diversas armas brancas
António Jorge durante a reconstituição do crime, em 2000
A família Macahado, com as vítimas Jorge e Maria,
O primeiro dia de liberdade de António Jorge, que em 1999 assassinou os pais em Ílhavo, foi passado em casa de familiares nos arredores de Coimbra "em paz e sossego", conforme contou o advogado Pedro Vidal. ‘TóJó’, como é conhecido, deixou o Estabelecimento Prisional de Coimbra ontem pelas 08h00, depois de ter cumprido quase 18 anos da pena de 25 a que foi condenado.

"É um homem novo", garantia o causídico que o foi buscar à cadeia acompanhado de uma tia de ‘TóJó’, que o acolheu.

"Para já está em recolhimento, a pensar e a apreciar estas primeiras horas de liberdade", contou Pedro Vidal. Mas o objetivo é acabar o curso de gestão e contabilidade e encontrar trabalho nessa área. ‘TóJó’, 41 anos, quer "reconstruir a vida", segundo o advogado, e talvez vir a ser analista financeiro.

Para já não vai frequentar as aulas no Instituto Superior de Contabilidade, mas prosseguirá com os estudos, assegura.

Pedro Vidal garante que ‘TóJó’ "está profundamente arrependido" do que fez e não pretende ver ninguém relacionado com o passado, nomeadamente a ex-mulher Sara e antigos amigos: "Quer esquecer tudo".
tójó refugiado casa ílhavo crime julgamento cadeia pais homicídio
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)