Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

TRABALHADORES DA BOMBARDIER EM VIGÍLIA

Os trabalhadores da Bombardier, ex-Sorefame, iniciam esta terça-feira uma vigília junto ao Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, para exigir que o governo assine um protocolo com a empresa que permitirá a reactivação de parte da fábrica instalada na Amadora.
9 de Novembro de 2004 às 08:51
No final de Outubro, os trabalhadores fizeram uma vigília à porta das instalações da Bombardier
No final de Outubro, os trabalhadores fizeram uma vigília à porta das instalações da Bombardier FOTO: Arquivo CM
O Sindicato dos Metalúrgicos, que convocou o protesto, alega que o acordo de cedência das instalações da Bombardier à EMEF, empresa responsável pela Manutenção dos comboios da CP-Comboios de Portugal, está pendente da assinatura do governo.
Em causa estão pelo menos 50 dos 150 trabalhadores abrangidos pelo processo de despedimento colectivo da Bombardier, que aguardam reintegração na futura unidade fabril a funcionar para a EMEF nas instalações da ex-Sorefame, na Amadora.
Esta unidade, que será gerida pela EMEF, do grupo CP, é o resultado de um protocolo estabelecido entre o Governo e a Bombardier, que, no entanto, ainda não foi assinado. Até a situação estar resolvida, os trabalhadores prometem manter-se à porta do Ministério.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)