Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Traficante baleado

Os dois cabo-verdianos ainda dormiam, pelas 08h00, em Rio de Mouro, Sintra, quando a PJ lhes bateu à porta de casa, quarta-feira de madrugada. São traficantes de heroína que abasteciam a Grande Lisboa, um deles resistiu, fugiu – e um dos inspectores atirou às pernas para o conseguir parar.
19 de Maio de 2006 às 00:00
A PJ seguia esta rede de droga desde o início do ano
A PJ seguia esta rede de droga desde o início do ano FOTO: Pedro Catarino
Mas o suspeito não parou e, coxo de uma perna, o cabo-verdiano de 40 anos ainda correu um quilómetro pelas ruas de Rio de Mouro. Foi apanhado e detido com o cúmplice mais novo, de 26 anos.
As investigações já duravam “desde Janeiro”, disse ao Correio da Manhã o inspector Duarte Alves, da Direcção Central de Investigação do Tráfico de Estupefacientes.
Os traficantes foram apanhados com “dois quilos de heroína” – suficientes para mais de 18 500 doses que, segundo a mesma fonte da PJ, “tinham como destino o abastecimento de várias redes de distribuição directa em locais da Grande Lisboa”.
O mais velho “tem antecedentes criminais” e já tinha, inclusive, cumprido pena por tráfico de droga. Os dois cabo--verdianos têm ainda “nacionalidade holandesa” – e a PJ acredita que a droga era importada daquele país.
A droga encontrada estava “em elevado grau de pureza” e escondiam ainda cerca de 2100 gramas em substâncias de corte, para mistura.
FUGITIVO NO HOSPITAL
Quando foi apanhado nas ruas de Rio de Mouro, o traficante em fuga foi “imobilizado, detido e transportado de imediato ao Hospital Amadora-Sintra” – onde ainda re-cupera, “livre de perigo”, dos ferimentos numa perna. Só será ouvido no Tribunal de Sintra “quando tiver alta médica”, enquanto o cúmplice já foi ontem presente ao juiz.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)