Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Traficantes disfarçavam com convites para café

Ao telefone combinavam um encontro para beber um café, mas quando estavam juntos tinham como única preocupação a compra e venda de droga.
26 de Março de 2008 às 00:30
A rede era composta por doze elementos. Sete encontram-se em prisão preventiva
A rede era composta por doze elementos. Sete encontram-se em prisão preventiva FOTO: Ricardo Almeida
A cocaína e heroína saía de Coimbra ou Lisboa, era cortada e vendida aos toxicodependentes de Leiria e Marinha Grande. A rede, constituída por 12 pessoas, começou ontem a ser julgada no Tribunal de Leiria.Segundo o despacho de Acusação do Ministério Público, o negócio funcionava com base em dois núcleos duros. Um deles, liderado por Leonel D., de 51 anos, era abastecido por um homem de nacionalidade cabo--verdiana, Jacinto M., de 43 anos, residente na zona da Damaia.
Umas vezes deslocava-se o Leonel à área metropolitana de Lisboa, outras era o Jacinto que viajava de expresso até Fátima, com a droga escondida nas cuecas.
Por norma, por cem gramas de heroína e 50 de cocaína, Leonel pagava 4500 euros.
Em Setembro de 2006, Jacinto foi detido pela PSPde Leiria.
Na sequência desta investigação, que durou perto de um ano, as autoridades chegaram ao segundo núcleo duro. Neste grupo, tudo girava em torno de dois homens residentes num bairro social de Leiria, que eram abastecidos por um casal de Coimbra.
A droga chegava, era cortadaecolocadano mercado através de vários ‘empregados’.
Numa das viagens de reabastecimento, o casal – ele com 38 anos e ela com 34 – foi interceptado pela polícia numa operação aparatosa, em Janeiro de 2007, junto às portagens da auto-estrada do Norte (A1), em Leiria. Na ocasião, foram apreendidas cem gramas de cocaína. Na mesma data, o bairro social onde residiam dois dos principais suspeitos foi cercado pela polícia para a realização de buscas domiciliárias.
Frutodestaacção, além da droga em elevado grau de pureza, a PSPconfiscou 12 665 euros em dinheiro, vários carros,quatroarmasde fogo (entre elas uma de calibre semelhante ao utilizado pelas forças de segurança), munições e roupa contrafeita. Sete dos detidos encontram-se em prisão preventiva à guarda deste processo.
PORMENORES
SUBSÍDIOS
Três dos principais arguidos não tinham actividade declarada e recebiam uma prestação mensal do Rendimento Social de Inserção. Para as actividades relacionadas com o tráfico alugavam viaturas.
CRIMES
Um dos arguidos faltou ontem ao julgamento e vai ser julgado em separado. Os outros respondem pelos crimes de tráfico agravado, tráfico simples, posse de arma proibida, contrafacção de roupa e branqueamento de capitais.
TESTEMUNHAS
As próximas sessões vão ser ocupadas com a audição das testemunhas. A Acusação arrolou 85 e a Defesa mais de duas dezenas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)