Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

TRATAR EFLUENTES SUINÍCOLAS

A solução técnica definitiva para o tratamento dos efluentes suinícolas da região de Leiria vai ser escolhida apenas depois de um concurso público internacional, disse ontem fonte do processo à Lusa.
15 de Julho de 2003 às 00:00
A decisão final sobre qual o tipo de solução, que deverá orçar em cerca de 50 milhões de euros, vai depender das propostas entregues pelas empresas fornecedoras de equipamentos. Hoje, vai ter lugar uma reunião entre o secretário de Estado do Ambiente, autarcas, técnicos e suinicultores.
As soluções possíveis – inovadoras em Portugal – são a digestão anaeróbica e secagem térmica, que permitem a produção de biogás para ser transformado em electricidade, mas a decisão final só será tomada depois das propostas serem apresentadas.
No entanto, os membros do grupo de trabalho que está a estudar o problema escusaram-se a revelar pormenores sobre esta matéria, salientando que caberá ao secretário de Estado do Ambiente, José Eduardo Martins, uma decisão final.
Por outro lado, o financiamento comunitário ainda não está garantido – já que a obra não corresponde na totalidade aos princípios assumidos pela legislação europeia, que estabelece a regra do poluidor/pagador – pelo que a tarifa a pagar pelos suinicultores não foi sequer discutida.
Para David Neves, presidente da Associação dos Suinicultores de Leiria (ASL), a empresa que apresentar a melhor solução técnica terá de acompanhar a gestão do projecto.
No que diz respeito à tarifa a pagar pelos empresários, David Neves garante que os suinicultores estão disponíveis para assumir os custos de manutenção, mas só "faz sentido" que exista uma solução técnica se o for também do ponto de vista económico. Os sunicultores mostram-se confiantes que o concurso público poderá ser ainda aberto este ano.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)