Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

TRÊS FAIXAS PARA O IC-19 ATRASADAS

A Comissão de Utentes do IC-19 exigiu ontem ao Governo o alargamento urgente daquela via rápida e criticou a falta de prazos concretos para a construção da estrada IC-16 e das circulares Nascente e Poente ao Cacém.
19 de Junho de 2003 às 00:00
O percurso entre Sintra e Lisboa demora, em média, uma hora e 30 minutos
O percurso entre Sintra e Lisboa demora, em média, uma hora e 30 minutos FOTO: Arquivo CM
Estas críticas foram ontem apontadas pela Comissão de Utentes num caderno reivindicativo que entregou no Ministério das Obras Públicas.
"Fomos muito bem recebidos por um assessor, percebemos que há boa vontade política, mas infelizmente soubemos que o primeiro troço do alargamento do IC-19, entre o nó de Queluz e o nó do Cacém, já não vai ficar concluído este ano. Pelo contrário, o lançamento desta empreitada é que arranca até ao final do ano", lamentou, Adelina Machado, representante dos utentes.
Apesar da vontade política dos responsáveis do Governo, acrescentou, "não houve respostas concretas", nomeadamente quanto aos prazos relativos à construção das circulares Nascente e Poente ao Cacém.
IC-16 ATRASADO
"No que diz respeito ao IC-16 (via alternativa ao IC-19, entre Sintra e Lisboa), ficamos apenas a saber que o concurso será lançado brevemente, mas não exactamente quando, e lamentamos que a intenção do Governo seja introduzir portagens", disse Adelina Machado.
De acordo com Adelina Machado, a reintrodução das portagens na Circular Regional Externa de Lisboa (CREL) veio ainda agravar mais a situação de ruptura em que se encontram as acessibilidades e "dificultar a vida de quem vi- ve e/ou trabalha no concelho (de Sintra).
"Demoramos em média, por dia, uma hora e 30 minutos na deslocação casa/trabalho, sendo que para chegar ao IC-19 se demora cerca de 40 minutos. Isto significa que perdemos diariamente três horas em filas intermináveis de trânsito", critica a representante dos utentes. E sublinha: "Se recuarmos 20 anos, constatamos que as principais vias rodoviárias existentes nessa altura eram basicamente as mesmas de hoje".
CONTRA AS PORTAGENS NA CREL
A Comissão de Utentes exige a revogação da decisão de reintroduzir as portagens na CREL, o alargamento do IC-19 em toda a extensão (entre Queluz e Ranholas), o início imediato da construção do IC-16, sem portagens, "dada a sua definição urbana e o estudo de impacto ambiental que preconiza ser de 80 quilómetros/hora a velocidade máxima de serviço".
"No que diz respeito ao IC-16, tem que ser construído por troços de modo a ir garantindo o serviço às populações mais próximas da CREL. De reter que o prazo estabelecido pelo anterior Governo para a conclusão de toda a obra - em 2004 - já não se irá cumprir", lamentou Adelina Machado. A construção das vias circulares Nascente e Poente ao Cacém, e do IC-30 (Abrunheira/Linhó) , também sem portagens, a remodelação dos nós de Massamá e do Cacém, e a conclusão da Circular Regional Interna de Lisboa (CRIL) e do Eixo Norte/Sul (em Lisboa) são também outras exigências.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)