Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

TRÊS IRMÃOS MENORES ABUSADOS POR PEDÓFILA

Uma jovem de 19 anos foi detida e levada a tribunal, nos Açores, por fortes indícios de abusar sexualmente de forma continuada de três menores de 5, 6 e 9 anos, todos rapazes e irmãos. As práticas pedófilas decorriam no interior de um centro de abrigo para mulheres em risco e respectivos filhos, em Ponta Delgada, S. Miguel, onde a suspeita e as vítimas viviam.
8 de Outubro de 2003 às 02:30
A adolescente que protagonizou este caso de pedofilia no feminino foi detida sábado pela Polícia Judiciária naquelas instalações da associação Novo Dia, horas depois de receber ordem de expulsão na sequência de uma denúncia de abusos sexuais aos três irmãos, apresentada pela mãe destes, também acolhida na instituição particular de solidariedade social.
“Por sinal, as duas até eram grandes amigas”, indicou ao CM Paulo Fontes, director da Novo Dia. “Decidimos expulsá-la depois de a ouvir. Os rapazes também foram ouvidos, por um psicólogo, que lhe pareceu que os abusos não terão sido muito graves. Seriam o que se pode chamar de brincadeiras sexuais.”
Segundo fonte da PJ, os actos, “confirmados pelas três crianças e presenciados por outras”, envolveriam “troca de carícias”. A suspeita de pedofilia foi presente ao Tribunal Judicial de Ponta Delgada, para primeiro interrogatório, acabando por sair em liberdade, mediante apresentações periódicas na PSP. Trata-se de uma rapariga solteira com um passado “muito problemático”, que inclui “expulsão de casa da mãe”, adiantou-nos Paulo Fontes, acrescentando que não há toxicodependência envolvida, mas aquilo a que classifica de “uma grande rebeldia desde a infância”.
A adolescente, com um historial de passagens por instituições correccionais e de apoio a desinseridos, andava com acompanhamento psicológico e foi a primeira pessoa a ser albergada pelo centro da Novo Dia, a funcionar apenas desde Abril e que acolhe normalmente quatro mães e seis filhos, de forma temporária, por um período máximo de seis meses. A expulsão veio assim antecipar por alguns dias a saída daquela jovem por limite de tempo.
Em S. Miguel correu ontem a informação, desmentida pela associação Novo Dia, de que a adolescente também levaria as crianças para uma casa de família, em S. Roque, nos arredores de Ponta Delgada.
PESO DE 10%
A pedofilia praticada por mulheres é bastante rara em termos criminais (há pelo menos um caso em Portugal), mesmo no estrangeiro, mas ela existe e tem um peso que pode surpreender. Estudos internacionais apontam que 10% dos casos de abuso são protagonizados por mulheres, resultados a que também chegou a psicóloga Marisalva Fávero no trabalho ‘Sexualidade Infantil e Abusos Sexuais a Menores’, feito no País.
DETENÇÕES AUMENTAM NOS AÇORES
Os casos de pedofilia estão a registar um crescimento assinalável nos Açores, como o próprio coordenador da PJ de Ponta Delgada, Dias da Silva, apontou ao CM, acrescentando que, este ano, terão sido detidos, por esse crime, à volta de dezena e meia de indivíduos, no arquipélago, um valor anormal para a região. “O que me parece é que há, hoje, uma atitude de maior denúncia destas situações, o que é positivo pois estamos a falar de um crime em que necessitamos de ser informados e de preferência o mais rapidamente possível”, indicou.
Dias da Silva referiu que todos os casos detectados são isolados – não existindo indícios de redes organizadas – em que agressores e vítimas são familiares ou vizinhos.
Um desses episódios, noticiado pelo CM em final de Agosto, ocorreu em S. Miguel e foi protagonizado por um homem de 32 anos, servente de pedreiro, suspeito de abusar de um filho de três anos e ainda da mulher. Poucos dias depois, foi a vez de um subempreiteiro da construção civil, casado, ser detido por indícios de abuso sexual de três irmãos, todos rapazes, com idades entre os 10 e os 13 anos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)