Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Tribunal aplica pena suspensa a homem que fez sete roubos em Braga

Em todos os crimes foi exibido às vítimas um objeto "em tudo idêntico a uma arma de fogo".
Lusa 29 de Outubro de 2021 às 19:00
Tribunal de Braga
Tribunal de Braga FOTO: Secundino Cunha
O Tribunal de Braga condenou, esta sexta-feira, a quatro anos e oito meses de prisão, com pena suspensa, um jovem que em outubro de 2021 efetuou sete roubos naquela cidade, dois dos quais na forma tentada.

Segundo o tribunal, em todos os crimes foi exibido às vítimas um objeto "em tudo idêntico a uma arma de fogo".

O arguido foi condenado por cinco crimes de roubo na forma consumada e dois na forma tentada.

No primeiro roubo, registado em 11 de outubro, junto a uma caixa multibanco, as vítimas foram um homem e uma mulher, que acabaram roubados e feridos, tendo tido necessidade de assistência hospitalar.

No dia 21, registaram-se duas tentativas frustradas de roubo num pronto-a-vestir e numa chocolataria e um roubo consumado num outro pronto-a-vestir.

Três dias depois, o alvo foi uma loja de decoração de interiores, tendo o último roubo sido consumado num outro pronto-a-vestir.

O arguido, de 26 anos, atuou, em todos os roubos, conjuntamente com um outro arguido, que, por razões de saúde, será julgado num processo separado.

Na altura dos factos era sem-abrigo e dedicava-se a arrumar carros em Braga.

Confessou os factos em tribunal, alegando que o objetivo era conseguir dinheiro para alimentar o vício da droga.

O tribunal destacou o "elevado" grau de ilicitude dos factos e o dolo direto com que o arguido atuou.

A favor do arguido, o tribunal ponderou a sua "postura humilde", o arrependimento manifestado, a vontade expressa de pedir desculpa às vítimas e a inexistência de antecedentes criminais.

Aludiu ainda ao curto período de tempo em que foram praticados os roubos.

Por isso, entendeu ser ainda possível "fazer um juízo de prognose favorável", optando pela suspensão da pena, subordinada a um regime de prova, tendo o arguido de cumprir um plano de readaptação social e de se submeter a um tratamento à toxicodependência.

Terá ainda de pagar indemnizações às vítimas, num total de 2.700 euros, bem como 311 euros ao Hospital de Braga, pelo tratamento de duas delas.

O arguido, que estava em prisão preventiva, foi restituído à liberdade esta sexta-feira.

Braga Tribunal de Braga crime lei e justiça tribunal questões sociais julgamentos
Ver comentários