Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Tribunal condena abusador sexual

Quatro anos e dez meses de prisão. Foi esta a pena a que foi ontem condenado o dirigente de um clube desportivo de Olhão pela prática de três crimes de coacção sexual sobre um atleta menor do clube. O homem continua a exercer o cargo no clube frequentado por dezenas de crianças.
5 de Fevereiro de 2010 às 00:30
Dirigente ouviu ontem a condenação dos juízes do Tribunal de Olhão por três crimes de coacção sexual
Dirigente ouviu ontem a condenação dos juízes do Tribunal de Olhão por três crimes de coacção sexual FOTO: Rui Pando Gomes

Os juízes do Tribunal de Olhão deram como provado que Carlos Rosário, 43 anos e dirigente do clube Os Olhanenses, abusou sexualmente do menor, na altura com 15 anos, em três situações. Os abusos aconteceram nos dias 22, 23 e 25 de Março de 2008.

Num dos casos, o arguido pediu ao menor para gravar um CD no escritório e, nesse momento, "sentou a vítima no colo e mexeu-lhe na zona pélvica", referiu ontem a presidente do colectivo de juízes, na leitura do acórdão.

Na altura o menor era jogador de andebol do clube. O tribunal, que considerou o depoimento da vítima "seguro e coerente", deu ainda como provado que, numa outra situação dentro de uma arrecadação do clube, o abusador "agarrou o menor por trás e encostou-o à parede, apalpando-o no pénis e no peito". Era dia de Páscoa e as famílias do abusador e vítima participavam num convívio.

O arguido convidou ainda o menor para ir dar uns passeios de carro. Segundo o entendimento dos juízes, "o arguido agiu de forma livre e consciente com a intenção de satisfazer os seus desejos libidinosos". E sabia que "estava a ter uma conduta reprovável e punível por lei", por o jovem ser menor.

O tribunal condenou ainda o dirigente a pagar 15 mil euros de indemnização à vítima. Apesar da condenação, os juízes decidiram suspender a pena de prisão.

Ver comentários