Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Trio esvazia edifício de centro paroquial

Ladrões fugiram com artigos avaliados em 23 mil euros e um cofre com cinco mil euros em dinheiro, em Vila Nova de Gaia.
Nelson Rodrigues 21 de Maio de 2018 às 08:30
Assalto ao Centro Paroquial de S. João Baptista de Canelas ocorreu em dezembro de 2016 e foi cometido por três ladrões
GNR
GNR
GNR
Assalto ao Centro Paroquial de S. João Baptista de Canelas ocorreu em dezembro de 2016 e foi cometido por três ladrões
GNR
GNR
GNR
Assalto ao Centro Paroquial de S. João Baptista de Canelas ocorreu em dezembro de 2016 e foi cometido por três ladrões
GNR
GNR
GNR
Computadores, livros, cadeiras de crianças, carrinhos de bonecas, caixotes do lixo, eletrodomésticos, garrafas de vinho, carne, peixe e até legumes congelados foram apenas alguns dos artigos, avaliados em mais de 23 mil euros, roubados do Centro Paroquial de S. João Baptista de Canelas, em Vila Nova de Gaia, em dezembro de 2016.

Os três assaltantes, com idades entre 35 e 41 anos - dois deles irmãos-, fugiram ainda com um cofre em que estavam guardados cinco mil euros em dinheiro. Começam a ser julgados no início de junho.

Os arguidos estão em liberdade, com apresentações periódicas às autoridades, e vão responder por um crime de furto qualificado. Para entrar no centro paroquial, estroncaram uma porta e uma janela nas traseiras do edifício. Uma vez no interior, remexeram tudo no escritório, no jardim de infância, na creche, na cozinha e na lavandaria. Levaram todos os artigos de valor, carregando-os para a carrinha da instituição, da qual se apropriaram. Para trás deixaram apenas os móveis mais pesados.

Antes de fugirem na viatura, em direção a Sandim - onde dividiram todos os artigos e arrombaram o cofre -, ainda destruíram o portão principal do edifício do centro paroquial.

A queixa foi apresentada na GNR, em nome de D. António Francisco dos Santos, o anterior bispo do Porto, à qual pertence o Centro Paroquial de Canelas.

Refere o processo, consultado pelo CM, que os arguidos têm cadastro por vários crimes .
Ver comentários