Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Trio faz assalto com sequestro

Quando ouviu a arma ser engatilhada e sentiu o cano encostado à têmpora, a directora de recursos humanos do aldeamento turístico Alfagar, em Albufeira, sentiu um calafrio e o pânico instalou-se. A voz do assaltante, baixa e fria, avisou-a: "Quietinha e calada!"
5 de Agosto de 2009 às 00:30
Os três suspeitos actuaram de rosto descoberto e escolheram como alvo os escritórios do aldeamento
Os três suspeitos actuaram de rosto descoberto e escolheram como alvo os escritórios do aldeamento FOTO: Roberto Pujales

O assalto, que terá rendido cerca de 35 mil euros, foi perpetrado por três brasileiros, que aparentavam ter entre 30 a 40 anos, pelas 13h45 de anteontem. O crime foi cuidadosamente preparado. Cerca de três horas antes, o trio tinha inspeccionado o local e, a pretexto de se inscrever a fim de conseguir emprego, entrou na zona da contabilidade e recursos humanos do empreendimento, o alvo que tinha escolhido.

Todos os assaltantes estavam "de rosto descoberto", revelou ontem a vítima, de 49 anos, que solicitou o anonimato. Ainda em estado de choque, adiantou ao CM que a arma utilizada pelos assaltantes parecia "uma pistola grande", mas, de acordo com fonte policial, deverá tratar-se de uma caçadeira de canos serrados.

Num primeiro momento, a directora encontrava--se sozinha no escritório e foi levada pelos assaltantes para um gabinete interior, on-de foi amarrada e ameaçada de morte a fim de abrir o cofre que ali se encontrava. Contudo, como a vítima não o conseguiu fazer, os ladrões optaram por esperar pela colega, que chegou momentos depois. Esta, de cerca de 30 anos, foi igualmente sequestrada, amarrada e, também com a arma encostada à cabeça, forçada a abrir o cofre e a entregar o dinheiro que se encontrava no seu interior.

Os gatunos terão também roubado dois envelopes com dinheiro.

Antes de abandonarem os escritórios, os assaltantes avisaram as vítimas de que voltariam atrás e que as matariam se saíssem dali e dessem o alerta.

E foi ainda no gabinete que as duas vítimas foram encontradas, momentos depois, por uma terceira colega.

A GNR de Albufeira e a Polícia Judiciária de Faro foram alertadas, cabendo agora a esta última a investigação do caso.

SEGURANÇA REFORÇADA NO ALDEAMENTO

O assalto levou o aldeamento Alfagar a reforçar as condições de segurança no recinto, nomeadamente através de câmaras de vigilânciae de cancelas. O Alfagar já dispunha de segurança privada mas o roubo passou despercebido.

Segundo o CM apurou, a área de contabilidade e recursos humanos, o alvo escolhido pelos assaltantes, embora se trate de um local por onde passa muita gente, não dispunha de videovigilância, pelo que o crime não pode ser visionado pelas autoridades, que já procederam à recolha de vestígios no local.

PORMENORES

15 MINUTOS DE MEDO

Os 15 minutos que terá demorado o assalto foram de medo intenso para as duas vítimas, que receavam que a qualquer altura o homem que empunhava a arma se enervasse e premisse o gatilho.

APARÊNCIA

Os assaltantes aparentavam ter entre 30 a 40 anos. O mais velho era baixo, outro era forte e o terceiro alto e magro. Um vestia de azul, outro vermelho e outro tinha uma camisola de cavas.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)