Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Trólei chega em 2009

A Amadora vai ter um novo sistema de transporte amigo do ambiente em 2009. O Metro Ligeiro de Superfície (MLS) é um trólei que se desloca sobre pneus e quando entrar em funcionamento servirá 15 mil passageiros por dia, segundo estimativas da autarquia.
4 de Janeiro de 2008 às 00:00
Os sete quilómetros de troço previstos para este novo transporte ecológico e menos ruidoso do que os autocarros, dado que funciona a electricidade, irão ligar a estação de metro Amadora-Este (linha azul) e a linha de caminhos-de-ferro na Reboleira ao novo centro comercial Dolce Vita Tejo, atravessando as freguesias de Venda Nova, Falagueira, Mina e Casal de São Brás. Numa segunda fase, o trólei poderá prolongar-se até às estações da linha amarela de Odivelas e Senhor Roubado, no concelho de Odivelas.
Com um custo previsto de 11 milhões de euros, suportado em grande parte pela empresa que está a construir o novo centro comercial e pelo Estado, o trólei deve entrar em funcionamento em Maio do próximo ano.
Para o vereador dos Transportes da Câmara da Amadora, Gabriel Oliveira, a criação desta rede, aliada à extensão da linha azul da Amadora-Este até à Reboleira, dotará a cidade da melhor rede de transportes na Área Metropolitana de Lisboa. Garante ainda que a opção pelo trólei, que usa estradas já existentes, permite poupar seis vezes mais do que se fosse preciso construir carris.
O anúncio foi feito na apresentação do concurso público para a construção da estação de metro da Reboleira, obra que aumenta a linha azul em 850 metros e liga CP e metro a partir do primeiro trimestre de 2011, como noticiou ontem o CM.
Durante o lançamento do concurso, a secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino, adiantou que a futura ligação entre a Amadora-Este e a Reboleira deve implicar um acréscimo de passageiros na ordem dos quatro milhões por ano e contribuirá para reforçar a ideia de que o transporte público é uma alternativa “efectiva e eficaz” ao transporte individual em zonas com alta densidade populacional.
Sobre o aumento dos preços dos transportes públicos que aconteceu no início deste ano, a secretária de Estado dos Transportes garante que se tratou de um “aumento médio a um aumento assinalável dos combustíveis”. Para já, fica em aberto a possibilidade de os preços aumentarem ainda mais na revisão prevista para 1 de Julho. “Podem baixar ou subir. Está tudo dependente dos factores de produção”, disse Ana Paula Vitorino.
Ver comentários