Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Turistas portugueses assaltados no Brasil

Quando aterrou no aeroporto do Recife, no Nordeste do Brasil, na terça-feira à noite, um grupo de 19 portugueses não imaginava o que o esperava. A caminho do hotel, em Porto de Galinhas, o autocarro em que seguiam foi sequestrado por cinco homens armados, que os fizeram viver um pesadelo que durou uma boa meia hora.
3 de Março de 2005 às 00:00
O ataque ocorreu a cerca de 50 quilómetros do Recife. Os portugueses foram surpreendidos por dois automóveis que barricaram o autocarro: um colocou-se à frente; outro tomou posição atrás. O autocarro foi obrigado a parar. Rápidos como felinos, dois dos assaltantes abandonaram as viaturas e, armados com revólveres, forçaram a entrada e obrigaram os passageiros a meterem a cabeça entre as pernas.
António Cancela, jornalista da SIC, também ele apanhado na emboscada, relatou que os assaltantes entraram no autocarro com ameaças de morte, “mas acabaram por não agredir ninguém”.
Alguns turistas ainda tiveram tempo para esconder relógios e algum dinheiro. Os sequestradores deram ordem a toda a gente para abandonarem o autocarro. António Cancela disse à SIC que, apesar de tudo, “todos conseguiram manter a calma”.
O pior veio depois. “Quando saímos do autocarro tive algum receio. Mandaram-nos alinhar em fila indiana e obrigaram-nos a ficar sentados à beira da estrada para nos revistarem. Ordenaram-nos que não fizéssemos gestos bruscos”, disse o jornalista ao seu canal de TV.
Os assaltantes agarraram nos sacos e mochilas, com telemóveis e máquinas fotográficas, e desapareceram tão depressa como tinham surgido, disse. António Cancela considera que os raptores, que se apresentaram de cara destapada, eram inexperientes: “Não havia coordenação entre eles. Conforme fugiam, iam abandonando na berma da estrada os passaportes e outros documentos. A mim, por exemplo, levaram-me a escova de dentes e deixaram a pasta dentífrica...”.
Valdimir Maximino, delegado de Ipojuca, não tinha até à hora do fecho desta edição qualquer pista dos assaltantes.
NUNO MELO FOI SEQUESTRADO NO RIO
A insegurança no Brasil atingiu também o actor português Nuno Melo, que veste o papel de Constantino na telenovela ‘Senhora do Destino’. O artista foi sequestrado no dia 19 de Novembro no centro do Rio de Janeiro. Ele e a actriz brasileira Adriana Lessa (a personagem Rita da mesma telenovela) foram raptados e ficaram três horas sob a ameaça de dois bandidos, que depois de circularem pela cidade com o carro de Nuno, abandonaram os actores no meio da floresta da Tijuca. Os assaltantes obrigaram Adriana a levantar dinheiro. Nuno ficou sem o carro, a carteira e os documentos. Nos dias seguintes, a TV Globo protegeu-os da comunicacão social.
SEMELHANTE
METRALHADORAS
Um crime semelhante já havia sido praticado contra um casal português e seis turistas espanhóis, assaltados a 2 de Dezembro, pouco depois de terem iniciado uma viagem do aeroporto de Salvador da Bahia para os hotéis em que íam ficar instalados, na zona de Guarajuba. À semelhança do ataque aos portugueses, os turistas seguiam num transfer quando, na Estrada do Coco, foram interceptados por três viaturas: uma Ford Ranger, uma GM Astra e uma Mercedez-Benz Sprinter. Um dos assaltantes, munido de uma metralhadora, obrigou o motorista a abrir a porta e o porta-bagagens. O grupo apoderou-se das malas e pôs-se em fuga com 5000 euros em dinheiro.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)