Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

TUTELA REVÊ EM ALTA NÚMEROS DA GREVE

O Ministério da Saúde reviu em alta os seus cálculos da adesão dos médicos de família ao segundo dia (quinta-feira) de greve nos centros de saúde do país, apontando agora para uma paralisação de 63,8 por cento. Os sindicatos garantem que o protesto mobilizou 90 por cento dos médicos de família.
31 de Janeiro de 2003 às 08:41
TUTELA REVÊ EM ALTA NÚMEROS DA GREVE
TUTELA REVÊ EM ALTA NÚMEROS DA GREVE
Pela manhã de ontem, a tutela tinha avançado com o número de 62% de taxa de adesão à greve, mas à noite reviu este cálculo em alta. Para o Sindicato Independente dos Médicos e a Federação Nacional dos Médicos, este número continua aquém do que consideram ter sido uma paralisação que mobilizou 90 por cento dos médicos de família portugueses.

ADMINISTRATIVOS ADEREM AO TERCEIRO DIA

Hoje, sexta-feira, cumpre-se o terceiro e último dia deste protesto contra as novas regras delineadas pelo Governo para o preenchimento de vagas na categoria de médicos de família, num processo do qual os parceiros sociais do sector afirmam ter sido excluídos.

O terceiro dia da greve têm a particularidade de juntar também os trabalhadores administrativos e auxiliares de saúde, convocados para o efeito pela Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública.

A adesão desta classe de profissionais de saúde deverá agravar os efeitos da greve, já que será ainda mais difícil, se não mesmo impossível, marcar novas consultas e receber tratamento de enfermagem.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)