Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

UM AMOR NOS TREINOS

Eram ambos desportistas. Pelas malhas da rede de voleibol, o Bruno Miguel, de 25 anos, espreitava a Sandra Cristina, de 22, mas ela, concentrada no jogo, nem dava por tais olhares. Até que o rapaz lhe escreveu uma carta de amor, entregue em mão, antes dos treinos.
18 de Maio de 2003 às 01:01
Quando o Bruno disse à Sandra que tinham sido seleccionados, ela começou a chorar de emoção
Quando o Bruno disse à Sandra que tinham sido seleccionados, ela começou a chorar de emoção FOTO: Manuel Moreira
Não era em “papel perfumado”, mas “tinha três folhas e até alguns poemas pelo meio, uma forma usada pelo Bruno para dizer-me que eu era tímida e sensível”, lembra-se a Sandra Cristina, que, finalmente, reparou no companheiro de jogo. Poucos dias depois disse “sim” ao pedido de namoro e vai repetir a palavra, na Sé de Lisboa, durante os “Casamentos de Santo António”.
A Sandra Cristina lembra-se do rosto envergonhado do Bruno ao entregar-lhe a carta. “Ele disse-me que não a lesse ao pé dele”, ri-se agora, como se ali estivesse a prova de que também o noivo, tal como ela, era tímido.
O Bruno Miguel reconhece-o com um sorriso: “Quando fui a casa da Sandra, perguntar ao pai se podia namorar com ela, subi a escada até ao andar onde moram, desci e só depois voltei a subir. Estava mesmo nervoso...”
A título de curiosidade, conta ainda que, como residem os dois em Marvila - ao todo, são onze os noivos de Santo António oriundos daquela freguesia lisboeta - o pai da Sandra conhecia toda a família dele.... menos o próprio Bruno, ou seja, o futuro genro.
Os dois deixaram, entretanto, de praticar desporto. Além de jogar voleibol, o Bruno “fazia atletismo: provas de fundo e meio fundo” e a Sandra tiro ao arco. “Mesmo sendo baixinha, quase da altura do arco”, tem o quarto repleto de troféus, ganhos em torneios entre juntas de freguesia.
“A vida não permitiu que continuássemos a praticar desporto“, observa o Bruno Miguel, enquanto caminha, enlaçando a cintura da noiva, no Parque da Bela Vista, em Marvila.
Ele desempenha, actualmente, as funções de supervisor e ela é chefe de balcão. Os dois trabalham em empresas pertencentes ao mesmo grupo económico. Mesmo assim, o Bruno sente a falta do atletismo e dispõe-se, “qualquer dia, a recomeçar a correr.”
VER AS NOIVAS DANÇAR
Os dois decidiram casar-se no ano passado e a mãe do Bruno desempenhou um papel importante no que à participação na iniciativa “Casamentos de Santo António 2003” diz respeito. “A minha mãe é que foi buscar os papéis à Junta de Freguesia e foi ela quem tratou de quase tudo “, agradece-lhe o filho.
A Sandra Cristina tem uma recordação peculiar do santo casamenteiro de Lisboa: “Frequentei a escola primária em S. João de Brito e lá existia uma estátua de Santo António. Lembro-me de, na altura das marchas populares, as crianças dançarem junto dela. ”
Mais tarde, aprendeu a valsar com as noivas de Santo António: “Quando elas ensaiavam na Quinta Pedagógica, eu ia vê-las.”
O casal viverá os primeiros tempos na casa dos pais do Bruno, “até conseguirmos uma para nós”. Menos indefinida parece ser a perspectiva de filhos. “Fizemos o ‘teste da agulha’ (agulha suspensa sobre a palma da mão, sendo que do movimento dela infere-se o número e o sexo das crianças) e deu três: uma menina e dois rapazes.”
PERFIS
ELA
Nome: Sandra Cristina Gomes dos Santos
Idade: 22 anos
Naturalidade: S. Sebastião da Pedreira
Residência: Marvila
Profissão: Chefe de balcão
ELE
Nome: Bruno Miguel Pinto Martins
Idade: 25 anos
Naturalidade: S. Sebastião da Pedreira, Lisboa
Residência: Marvila
Profissão: Supervisor de loja
AMANHÃ
RAPAZ ‘ATREVIDO’
Na noite de Santo António, o Helder roubou um beijo à Sónia e, logo no dia seguinte, perguntou-lhe se queria namorar com ele. O pedido de casamento foi feito ao microfone, durante uma festa.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)