Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Vacina experimental para cancro do útero

A multinacional farmacêutica Merck anunciou esta sexta-feira ter criado uma vacina experimental que previne as formas mais comuns do cancro do útero, que provou ser eficaz num ensaio efectuado em 12 mil mulheres, com idades compreendidas entre os 16 e os 23 anos, durante dois anos.
7 de Outubro de 2005 às 15:38
O estudo apresentado pela Merck em São Francisco, no Estado da Califórnia (EUA), durante o congresso anual da Sociedade Americana de Doenças Infecciosas, demonstra que a nova vacina, denominada Gardasil, actua contra os vírus causadores do cancro e nódulos genitais.
Os autores do estudo, defendem que a vacina deve ser dada tanto a raparigas como a rapazes, entre os 10 e os 13 anos, sendo que a vacinação destes tem por objectivo evitar que infectem na maioridade as suas futuras parceiras.
Segundo os investigadores da Merck, a nova vacina actua sobre o papilomavirus humano dos tipos 16 e 18, causadores de 70 por cento dos casos de cancro do colo do útero, e contra o papilomavirus humano dos tipos 6 e 11, que contribuem para o aparecimento de nódulos genitais.
A Merk vai solicitar, ainda antes do final deste ano, autorização para começar a comercializar a nova vacina junto da Agência de Alimentos e Medicamentos dos EUA, sendo que esta poderá chegar às farmácias em finais de 2006.
Ver comentários