Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Vassouras travam fogo

O violento incêndio que ontem consumiu uma vasta área de pinhal e mato nos concelhos do Seixal e Sesimbra pôs em risco várias habitações.
18 de Julho de 2009 às 00:30
Populares atacaram as chamas com todos os meios disponíveis
Populares atacaram as chamas com todos os meios disponíveis FOTO: Vítor Mota

No Casal do Sapo, Fernão Ferro, os moradores viram-se mesmo obrigados a travar o fogo pelos seus próprio meios durante cerca de duas horas. Às 21h30 ainda lavrava sem controlo.

Os moradores usaram mangueiras e vassouras para impedir as chamas de atingir as casas até à chegada dos bombeiros. "Há mais de duas horas que o meu marido e o meu sogro, de 72 anos, andam a combater o fogo", disse ao CM uma moradora.

Ali perto, na Quinta do Conde (Sesimbra), outra frente do mesmo incêndio chegou a queimar quintais e a estilhaçar vidros das casas, mas os bombeiros conseguiram impedir a destruição das habitações. Também o parque de campismo de Fernão Ferro chegou a ter as chamas por perto, mas não foi necessário evacuar os campistas.

Ao início da noite, o fogo lavrava ainda em várias frentes, mas os 223 bombeiros, apoiados por 67 veículos e um helicóptero Kamov conseguiram afastar as chamas de zonas residenciais. O fogo foi dado como circunscrito às 21h10.

Rui Costa, 2º Comandante do Distrito de Setúbal, explicou ao CM que o fogo "começou no Seixal, e expandiu-se depois para sul, na direcção de Sesimbra".

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)