Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Vê carta de amor e mata a mulher

Rui Borges assassinou companheira com um machado.
Ana Isabel Fonseca 29 de Maio de 2015 às 04:05
Rui Borges começou ontem a ser julgado no Tribunal de Vila Real, acusado  de matar a mulher, Tânia Silva (foto pequena), com vários golpes de machado
Rui Borges começou ontem a ser julgado no Tribunal de Vila Real, acusado de matar a mulher, Tânia Silva (foto pequena), com vários golpes de machado FOTO: CMTV

Rui Borges assumiu os "vários golpes" de machado com que matou a mulher Tânia Silva, a 16 de julho de 2014, no bairro da Araucária, em Vila Real. Mas garantiu, ontem, ao tribunal da cidade, que amava a companheira, de 33 anos, e que não queria tirar-lhe a vida.

"Descobri uma carta de amor para outro homem e fiquei louco. Já quando estava com a Tânia em casa, ajoelhei-me a chorar e disse-lhe que ia mostrar a carta aos filhos dela. Ela veio para cima de mim com um machado. Tirei-lho e dei-lhe vários golpes", alegou Rui Borges, em lágrimas, no início do julgamento.

O arguido, de 44 anos, assegura que, depois, apenas se recorda de ver Tânia no chão, cheia de sangue. Negou ainda que a vítima tivesse sido alvo de maus-tratos durante os 14 anos de relacionamento, mas foi contrariado, também ontem, pela filha de Tânia Silva. "Ele era ciumento e discutiam muito. Vi o Rui a dar chapadas na minha mãe", contou Andreia, de 16 anos, que chorou ao recordar a mãe.

Rui está ainda acusado de ter agredido Andreia e o irmão, de 18 anos. Foi nessa altura que Tânia fugiu com os filhos e apresentou uma queixa. "Aí tivemos de viver em casas separadas. Para ficarmos juntos, a minha mãe voltou para o Rui", disse Andreia.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)