Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Velejador são e salvo

Um iate tripulado por um velejador solitário finlandês encalhou ontem de madrugada, às 05h30, na Praia da Mareta, em Sagres, tendo ficado com o mastro partido e problemas no motor.
13 de Janeiro de 2006 às 00:00
O barco foi rebocado para o porto da Baleeira. O velejador Petri Ruonti não acredita que consiga seguir viagem
O barco foi rebocado para o porto da Baleeira. O velejador Petri Ruonti não acredita que consiga seguir viagem FOTO: José Carlos Campos
Petri Ruonti, o ‘skipper’ do ‘Vivi’, de 33 anos, que saiu ileso apesar do ‘susto’, revelou ao CM que tinha fundeado na Mareta ao fim da tarde de anteontem. “A praia é muito bonita e não pensei que pudesse ter problemas. Mas, de manhã, o cabo da âncora partiu-se, talvez por ter batido numa rocha do fundo e uma grande onda projectou o veleiro para a praia, quase o virando. Foi aí que o mastro se partiu”, explicou.
O ‘Vivi’, de 8,3 metros de comprimento, acabou por ser desencalhado com o apoio da Polícia Marítima e da Brigada Fiscal, sendo rebocado para o Porto da Baleeira pelo salva-vidas de Sagres.
O comandante Silva Coelho, da Capitania do Porto de Lagos, elogiou a “perícia” do velejador, que, apesar das dificuldades “meteu um ferro na água e conseguiu aproar a embarcação ao mar. Se assim não fosse, teria ido bater nas rochas”, contou Silva Coelho.
A viagem de Petri Ruonti começou no passado dia 8 de Outubro e tinha como destino a Madeira. “Não sei se vou poder conseguir concluir a viagem, pois o veleiro ficou bastante danificado e tem de ser reparado em Lagos ou Portimão, o que pode demorar algum tempo. Foi má sorte”, lamentou.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)