Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Venezuela abriga fugitivos

Pablo Melgar, David Navarro e Victor Jimenez, os dois espanhóis e o venezuelano que anteontem fugiram da cadeia anexa à PJ do Porto, poderão estar já na Venezuela. Essa é, pelo menos, a convicção dos investigadores, que acreditam que o facto de Melgar e Navarro terem sido acompanhados na fuga por Jimenez não foi por acaso.
30 de Novembro de 2012 às 01:00
Dois espanhóis e um venezuelano saltaram de janela da PJ do Porto
Dois espanhóis e um venezuelano saltaram de janela da PJ do Porto FOTO: rafaela cadilhe

A PJ acredita que o traficante foi essencial para os contactos na Venezuela. Os fugitivos terão viajado com passaportes falsos, a partir de qualquer país da Europa, para onde se terão deslocado de carro.

A fuga terá sido planeada ao pormenor. Os espanhóis arrombaram a janela de uma das celas, no primeiro andar, e com a ajuda de um lençol desceram até ao pátio. Acederam ao recinto da Polícia Judiciária do Porto e conseguiram ultrapassar uma vedação. Deveriam ter alguém a esperá-los no exterior.

Pablo e David são considerados muito perigosos. Estavam em prisão preventiva há nove meses, indiciados por uma série de assaltos milionários. Actuavam sempre de madrugada, eram peritos nos arrombamentos e roubavam elevadas quantias que estavam dentro dos cofres. Conseguiam neutralizar alarmes e apagar o rasto.

Pablo Melgar era ainda suspeito de um homicídio em Espanha. Terá morto um homem numa rixa, mas não foi extraditado para que fosse primeiro julgado em Portugal pelos assaltos. As autoridades acreditam, por isso, que Espanha não seria o destino da fuga, porque naquele país os suspeitos também seriam procurados. Aliás, os investigadores da Judiciária acreditam ainda que enquanto fizeram mais de 20 assaltos no nosso país, os criminosos mantiveram a residência em Madrid. Vinham apenas por pequenas temporadas, sempre para executar os crimes, e usavam o mesmo estratagema noutros países da Europa. Terão conseguido apoderar-se de elevadas quantias.

ESCLARECIMENTO DA VENEZUELA 

A propósito da notícia publicada a 28/11/12, sob o título ‘Venezuela abriga fugitivos’, recebemos do embaixador daquele país em Portugal o seguinte direito de resposta: "Manifesto o meu total repúdio pela notícia em causa, a qual não só pretende através do seu título sensacionalista e tendencioso causar impacto nos leitores como destaca afirmações sem fundamento baseando-se só em suposições, como por exemplo: "Os dois espanhóis e o venezuelano que anteontem fugiram da cadeia anexa à PJ do Porto poderão estar já na Venezuela." Na referida notícia não só se evidencia a manipulação mediática como também a falta de ética ao publicar este tipo de ‘supostas informações’ sem antes corroborá-las pelo menos com as autoridades venezuelanas, porque pelo facto de os três prisioneiros terem fugido, não quer dizer que estejam na Venezuela, poderão estar em qualquer outro lugar. Isto mostra que, com o referido artigo, o Correio da Manhã procura desprestigiar e manchar a imagem da Venezuela, criando dúvidas e gerando matrizes de opinião negativas nas pessoas. Neste contexto, convido o Correio da Manhã a publicar factos noticiosos com argumentos e não com conjecturas".

Lucas e Rincón Romero, Embaixador da Venezuela

Fuga Porto Polícia Cadeia Prisão
Ver comentários