Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Vi o corpo em chamas e a cair desamparado

O calceteiro de 25 anos atingido por um raio em Lapa, Sernancelhe, sofreu queimaduras de segundo grau, mas não corre perigo de vida. O seu colega de trabalho, que o acompanhava na quinta-feira à tarde quando rebentou o temporal, ainda não recuperou do susto. “Vi o corpo dele em chamas e a cair para frente, desamparado. Ficou roxo e sem pulsação. Pensei que tinha morrido”, contou ontem Manuel Caldas.
21 de Abril de 2007 às 00:00
Manuel Caldas (à esq.) estava com Ricardo Silva e outros calceteiros quando o raio caiu perto deles
Manuel Caldas (à esq.) estava com Ricardo Silva e outros calceteiros quando o raio caiu perto deles FOTO: Nuno André Ferreira
Ricardo Silva, residente em Rãs, Penafiel, estava a fazer uma calçada, com o pai e outros calceteiros, junto à nascente do rio Vouga. Surpreendido pelo temporal de chuva e granizo, que assolou vários concelhos do distrito de Viseu – como Sernancelhe, Mortágua, Santa Comba Dão e Oliveira de Frades –, causando um morto e quatro feridos, tentou abrigar-se numa carrinha.
Quando ia a caminho da viatura, foi atingido pelo raio, que o deixou inconsciente por momentos. “O primeiro impacto foi num castanheiro. Depois saiu uma faísca que apanhou o Ricardo. O boné ficou traçado a meio”, conta Manuel Caldas.
O pânico tomou conta dos companheiros e do pai da vítima. “Ai que o meu filho morreu!”, gritou agarrado ao corpo inanimado do filho. Mas, após uma breve perda de consciência, Ricardo Silva recuperou os sentidos e todos respiraram de alívio. Foi transportado para o Hospital de São Teotónio, em Viseu, onde ficou internado, livre de perigo.
O temporal provocou danos em vários concelhos, sendo o de Oliveira de Frades o mais afectado, sobretudo devido à violenta queda de granizo durante 10 minutos. A limpeza dos 21 edifícios públicos e particulares atingidos por inundações foram retomadas ontem de manhã e a normalidade regressou ao município.
Para Abílio Silva, vereador da Protecção Civil da Câmara Municipal de Oliveira de Frades, “o pior já passou e os prejuízos são menores do que inicialmente se pensou”.
CONSEQUÊNCIAS E PREVISÕES
MORTAL
A intempérie que se abateu quinta-feira à tarde em Viseu provocou um morto e quatro feridos, três graves. Registaram--se 21 inundações e o telhado da cantina que abastecia as escolas de Oliveira de Frades abateceu parcialmente.
CULTURAS
A queda de granizo, com diâmetro semelhante a um berlinde, causou danos nos campos agrícolas de Oliveira de Frades. As plantações de batata, maçã e cereja foram as mais afectadas, sobretudo ao nível das produções familiares.
ALERTA
O continente esteve ontem em alerta amarelo, devido às trovoadas, aguaceiros e queda de granizo. Para hoje, a Meteorologia prevê melhoria, embora o céu apresente períodos muito nublados, com aguaceiros esporádicos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)