“Via o pai como uma ameaça”

Uma psicóloga que acompanha desde o início de 2010 a filha de Cláudio Rio Mendes, o advogado que foi assassinado a tiro pelo ex-sogro em Fevereiro do ano passado, no parque da Mamarrosa, em Oliveira do Bairro, disse ontem no Tribunal de Anadia, onde o julgamento prossegue, que a menina, hoje com quatro anos, via o pai como uma ameaça.
27.09.12
“Via o pai como uma ameaça”
A psicóloga Ana Sofia Rochinha disse ontem em tribunal que a menina via o pai – assassinado pelo ex-sogro, António Ferreira da Silva – como uma ameaça e que o viu a esmurrar a mãe Foto Luís Vieira

"Nas consultas, a menina demonstrou ter uma imagem ameaçadora do pai. Mostrava que tinha medo e receio e meses depois disse que o pai tinha dado um murro na mãe", contou a psicóloga Ana Sofia Rochinha.

A mãe da menina, a juíza Ana Joaquina Carriço, referiu também à psicóloga que tinha medo de inconscientemente estar a passar uma má imagem do pai à filha. Cláudio chegou também a deslocar-se ao consultório daquela e contestou o facto de a menina, que estava ao colo do avô quando o pai foi assassinado, estar a receber apoio psicológico. "O Cláudio apareceu no meu consultório mais centrado no sofrimento dele do que no da filha", disse a testemunha.

Ontem foi ainda ouvido um psiquiatra do Porto, que confessou ter feito um parecer psiquiátrico sobre a vítima sem nunca ter estado com ela, usando apenas dados que a juíza lhe deu. O relatório dava conta de que Cláudio Rio Mendes teria uma perturbação esquiso-afectiva.

Entretanto, a família da vítima tem-se mostrado abalada com uma afirmação anteontem feita pela juíza Ana no tribunal. O advogado assistente questionou a magistrada sobre se a menina era ou não filha de Cláudio. "Presumo que sim", disse a magistrada, causando surpresa.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
21 Comentários
  • De Fernando03.05.14
    ...Isto é extraordinário...de um lado só se vêm virtudes...do outro só maldade...também não será tanto asim!!!...
    Responder
     
     0
    !
  • De filipa20.12.12
    Não vai haver justiça neste caso, ser juiz em Portugal parece ser "estatuto Intocável"...os juizes protegem-se uns aos outros e aos seus familiares
    Responder
     
     0
    !
  • De Danny27.09.12
    Mais uma tretice para livrar o assassino de ser preso.Como viram o falecido a esbofetear uma idosa,é considerado mau caracter.Po acaso pararam para pensar que talvez a velha terá dito qualquer coisa que ele não gostasse?
    Responder
     
     3
    !
  • De cristina27.09.12
    O morto agora é um santo deve ter feito poucas e boas .
    Responder
     
     3
    !
  • De Isabel27.09.12
    Como é que a Ordem dos Médicos trata um médico que elabora um parecer psiquiátrico, a usar em tribunal, sobre um cidadão que nunca viu, baseado nos dados fornecidos pela outra parte?
    Responder
     
     7
    !