Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

VIGAS FEREM QUATRO

Quatro operários ficaram feridos ontem de manhã, na sequência da queda de vigas metálicas na obra onde trabalhavam, na Damaia, Amadora. O acidente ocorreu às 08h45, no Largo Natália Correia, junto à esquadra da PSP local, onde está a ser construído um supermercado Pingo Doce.
11 de Maio de 2003 às 00:00
Segundo fontes policiais, dois dos quatro feridos inspiravam mais cuidados e foram transportados para o Hospital S. Francisco Xavier, em Lisboa, onde deram entrada às 09h58.
“Têm 35 e 50 anos”, informou fonte hospitalar, acrescentando, ao fim da tarde, que um deles ia ser transferido para o Amadora/Sintra, a unidade da área de residência, pois o seu estado clínico tinha evoluído. A outra vítima estava consciente mas continuava em observação. “Foi visto por ortopedistas e cirurgiões”, especificou ao CM a mesma fonte recusando mais pormenores.
Os outros dois feridos, com 34 e 41 anos, deram entrada às 09h45 no Hospital Amadora/Sintra.
Contactado pelo CM, o encarregado da obra confirmou que os feridos mais graves encontravam-se já fora de perigo.
Questionado sobre o acidente, escusou-se a contar pormenores, frisando, todavia, que os feridos são trabalhadores de uma subempreiteira, pelo que nada sabia.
Alertados pelo “enorme estrondo” provocado pela queda da estrutura metálica, moradores e comerciantes comentavam o acidente e atribuiam--lhe causas prováveis.
A falta de apoios que sustentassem as vigas metálicas no tecto colhia a concordância da maioria.
“Até parece mentira como estavam a fazer a obra. Aquelas vigas pesam toneladas e não tinham escoras em ferro nem nada”, lamenta um homem que afirmou também trabalhar na área da construção civil.
Já um comerciante contou que eram quase 09h00 quando ouviu o estrondo.
“Estava a abrir a loja e apercebi-me logo que era um acidente. Chamei o 112 e disseram-me para não mexermos em nada.”
Solicitando o anonimato, acrescenta que chamou a Polícia e esta cortou, temporariamente, o trânsito na zona.
Os operários atingidos, conforme se soube na zona, estavam a trabalhar por baixo da estrutura montada anteontem. As vigas cairam e apanharam quatro:
“Um num braço, outro numa perna... Um dos feridos saiu daqui com a cabeça toda ligada. Disseram que era o mais grave. Outro teve sorte porque os ferros cairam em cruz, livrando-o da morte”, afirmou uma testemunha.
Os feridos foram transportados em quatro ambulâncias do INEM. Ao local acorreram ainda os Bombeiros da Amadora e de Queluz, num total de 18 homem e seis viaturas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)