Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Vigilância reforçada limpa Cova da Moura

A Divisão da PSP da Amadora reestruturou a estratégia de policiamento nos bairros problemáticos da sua área de actuação após a morte de três dos seus agentes. “É necessário mostrar que não reina a impunidade”, justifica a polícia.
28 de Março de 2005 às 00:00
Para tal, muito têm contribuído as operações das Equipas de Intervenção Rápida (EIR) e do Corpo de Intervenção (CI), que anteontem deteve mais dois homens por tráfico de droga na Cova da Moura.
A morte do agente Ireneu Diniz – abatido a tiro no dia 17 de Fevereiro quando patrulhava a Cova da Moura – deu indícios de que a actuação nos bairros problemáticos deveria ser repensada. Volvido um mês, outros dois agentes foram baleados junto ao Bairro Santa Filomena. A morte dos agentes Lopes e Abrantes voltou a erguer as vozes dos vários sindicatos da Polícia.
Entre pedidos de mais condições de trabalho surgiu a proposta de um policiamento que juntasse numa só equipa elementos do CI, da Investigação Criminal e das EIR.
Proposta acolhida e posta em prática pelo Comando. Esta semana as equipas, compostas por sete/oito elementos, voltaram a atacar a Cova da Moura.
Anteontem, em apenas uma hora, foram detidos dois homens. Pelas 19h00, foi detido um cabo--verdiano de 34 anos. Já referenciado pelas autoridades, o homem foi apanhado em flagrante delito com 890 doses de heroína e 140 de cocaína. Residente em São Marcos, Cacém, recaía sobre si uma ordem de expulsão do País. A polícia apreendeu-lhe ainda três argolas em ouro e 122 euros em dinheiro.
Minutos antes, pelas 18h20, um outro homem tinha sido detido também por tráfico de droga. Ao português, de 26 anos, a Polícia apreendeu 115 doses de haxixe.
“Agora, a polícia está mais interventiva na Cova da Moura. Não queremos que se pense que os criminosos ficam impunes”, disse uma fonte policial ao CM.
PORMENORES
OPERAÇÃO
Há uma semana, a PSP da Amadora, numa operação conjunta com a PJ, entrou de rompante na Cova da Moura e cumpriu cerca de 20 buscas domiciliárias. Entre suspeitos de outros crimes, foi detido um dos suspeitos da morte de Diniz.
DETIDOS
Paralelamente à operação, a PSP deteve ainda dois homens. Um, de 58 anos, encontrava-se na posse de uma arma de fogo ilegal. O outro, de 21, foi apanhado ao volante de uma viatura, para a qual não tinha habilitação legal para conduzir.
BAIRRO
O Bairro Cova da Moura, na Amadora, é visto pelas autoridades como um verdadeiro labirinto, onde impera o tráfico de armas e de droga e onde se escondem criminosos, que chegam a ter pendentes mandados de captura internacionais.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)