Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

VINHO APREENDIDO EM COIMBRA VALIA 115 MIL EUROS

A Brigada Fiscal da GNR de Coimbra anunciou ontem a apreensão de 231 mil litros de vinho de mesa tinto que estavam a ser transferidos para uma destilaria na zona de Torres Novas, ao que se presume para serem transformados em álcool vínico, com o objectivo de fugir ao controlo fiscal.
2 de Setembro de 2002 às 21:07
O vinho apreendido, apurou o Correio da Manhã, teve origem numa empresa da zona de Lageosa do Dão, Tondela, e foi avaliado em 115 mil euros.

Antecedentes

Segundo informações da Brigada Fiscal, a documentação de transporte do produto indicava que se destinava a um entreposto no Bombarral, para transformação em vinagre, mas acabou por ser desviado para a destilaria de Torres Novas.

As autoridades policiais presumem que a intenção dos proprietários da mercadoria era transformar o vinho em álcool vínico, fugindo aos impostos especiais sobre o consumo aplicados a este tipo de produto. A taxa cobrada no álcool vínico depende do grau do produto, sendo superior a oito euros por litro nos casos em que atinge os 96 graus.

Quando os elementos da Brigada Fiscal entraram em acção, no domingo, o vinho, que era transportado em oito camiões cisterna, estava a ser transferido para um tanque da destilaria.

Ao fiscalizarem os documentos exibidos pelos motoristas dos pesados, os agentes verificaram que o vinho tinha como destino um entreposto do Bombarral, onde seria transformado em vinagre.

Os condutores dos oito camiões foram constituídos arguidos no processo enviado ao Tribunal Judicial de Torres Novas. De acordo com a Brigada Fiscal, as autoridades judiciais libertaram os pesados que transportavam o vinho apreendido.

As autoridades policiais adiantaram que a destilaria onde estava a ser feita a trasfega do vinho "já tem antecedentes" neste género de infracções.

O caso vai agora seguir para vias judiciais no âmbito de um processo do Ministério Público.
Ver comentários