Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

VIOLADOR REINCIDENTE

Um assalariado agrícola de 48 anos, que já cumpriu pena de prisão por violar três filhas, é agora suspeito de abusos sexuais continuados sobre a descendente mais nova, com 13 anos e a viver em Caldas da Rainha. Presente a Tribunal, ficou em prisão preventiva.
3 de Julho de 2004 às 00:00
A detenção do indivíduo, residente em Dagorda, Óbidos, foi anunciada ontem pela Polícia Judiciária de Leiria, cujas diligências desenvolvidas nos últimos meses deram resposta às queixas feitas pela vítima na escola que frequenta.
Em causa está uma família com 10 filhos e dificuldades socio-económicas que terão facilitado a continuação da conduta do suspeito, ao ponto de escapar ao conhecimento das autoridades.
De acordo com um responsável ligado à investigação, a menina começou a ser molestada pelo pai aos oito anos, num quadro de aliciamento e coacção que resultaria em abusos sexuais frequentes.
Os alegados factos agora conhecidos serão semelhantes aos do processo anterior. Há 15 anos, o indivíduo foi condenado a três anos de prisão e proibido de se aproximar da casa onde reside o agregado familiar, por ter abusado de três filhas, uma delas com 10 anos.
As vítimas cresceram, atingiram a maioridade e afastaram-se, mas de acordo com a PJ o pai continuou a relacionar-se de forma normal com a mulher, prestando alguma ajuda económica à família. Não entrava na residência, mas os encontros eram comuns e decorriam sem conflitos.
Uma cunhada do arguido, Maria Luísa Ferreira, explicou que ele aparecia de tractor e levava a filha com o pretexto de ir ao supermercado. “Eu não tinha confiança nele, mas nós não sabíamos de nada”, afirma.
Presente a Tribunal na quarta--feira, devido a fortes indícios da prática do crime, o homem foi posto em prisão preventiva, na cadeia das Caldas da Rainha, onde deverá permanecer até ao julgamento. Desde a intervenção da PJ, a vítima está a viver com uma irmã mais velha.
Ver comentários