Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

VÍTOR SARMENTO: LIVROS DO ENSINO BÁSICO DEVIAM SER GRATUITOS

Vem aí uma campanha dirigida aos encarregados de educação, disse Vítor Sarmento, da Confederação das Associações de Pais.
2 de Setembro de 2002 às 22:32
Correio da Manhã - Pensa que as aulas vão mesmo começar, em todas as escolas, no dia 16 deste mês?

Vítor Sarmento - Podem começar em todas as escolas, mas com muitas insuficiências, ou seja, sem estarem reunidas as condições necessárias.

- A que insuficiências está a referir-se?

- À falta de professores e de auxiliares de educação, nomeadamente.

- O que de positivo pode trazer o ano lectivo prestes a iniciar-se?

- Um dos aspectos positivos será a maior participação dos pais e famílias no processo escolar. A Confap vai lançar uma campanha com esse objectivo.

- Em que consiste essa campanha?

- Consiste na divulgação de um conjunto de materiais-cartazes, um apelando à participação dos pais na vida da escola, outros dois com mensagens de prevenção dos consumos de álcool e drogas, e desdobráveis dirigidos aos encarregados de educação, elucidando-os, por exemplo, sobre a intervenção nos conselhos de turma.

- Os encarregados de educação têm por hábito intervir na vida escolar?

- A tradição, em Portugal, é de não participação. Estamos a trabalhar para mudá-la. Um passo nesse sentido é a comemoração, também no nosso País, do 1º Dia Europeu dos Pais, no próximo dia 8 de Outubro.

- Como podem os pais intervir se os professores marcam reuniões para as 11h00 de um dia de trabalho?

- Tem razão. O director de turma destina o ‘furo’ que lhe der mais jeito a receber os pais. Entendo que as escolas devem também criar as condições para uma maior participação dos pais.

- Como por exemplo...

- ...realizar ao fim da tarde ou no fim-de-semana as reuniões trimestrais. Mas a Lei também não nos ajuda. O decreto-Lei 80/99, que deu aos encarregados de educação a possibilidade de participação com falta justificada nos empregos, está por regulamentar.

- Disse-se que, devido à suspensão da revisão curricular, os manuais podiam não estar prontos a tempo. Preocupa-o? Ou preocupa-o mais o preço deles?

- Os livros estarão disponíveis. Preocupa-me que as famílias paguem dezenas de contos pelo material do ensino básico obrigatório, que devia ser gratuito.

- Quais são as propostas da Confap?

- Defendemos a reutilização dos livros no ensino básico, coordenada pelas escolas. Não é nada que nos torne indignos. No 2º e 3º ciclos e no secundário propusemos uma bolsa de livros, ou seja, um sistema de trocas entre os alunos. Além disso, entendemos que a utilização dos manuais deve alargar-se de três para quatro ou mesmo cinco anos.

- Há condições para reduzir o número de incidentes relacionados com a falta de segurança nas escolas?

- Devia investir-se mais nos porteiros das escolas 2 3 e secundárias e melhorar as condições de acesso nas do 1º ciclo. O Partido Popular (PP), que integra a coligação no Governo, foi dos que mais falou de segurança. Que venham então agora algumas medidas!

- Qual é a situação do parque escolar?

- Pese embora alguns melhoramentos, o investimento na recuperação do parque escolar está longe de satisfazer.

PERFIL

Nome: Vítor Manuel Machado Sarmento

Idade: 45 anos

Local de nascimento: Alenquer

Local de residência: Lisboa

Profissão: Gestor

Funções: Actividade em associações de pais; presidente da Federação Regional das Associações de Pais de Lisboa durante três anos; actual presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais; elemento do Conselho Nacional de Educação, do Conselho de Opinião da RTP e do Conselho Consultivo da Comissão Nacional de Luta Contra a Sida.
Ver comentários