Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Vivia à conta da mulher e irmã

Na última terça-feira, quando soube da detenção do marido, uma mulher, na casa dos 30 anos, agarrou-se ao pescoço de um agente da Divisão de Investigação Criminal (DIC) da PSP de Lisboa e chorou de alívio. Está em prisão preventiva o homem que a obrigou a ela e à cunhada a prostituírem-se durante anos.
13 de Outubro de 2006 às 00:00
Vivia à conta da mulher e irmã
Vivia à conta da mulher e irmã FOTO: Ilustração de Ricardo Cabral
O inquérito começou há pouco mais de um mês, graças a uma denúncia de maus tratos, feita à PSP de Lisboa, por uma das mulheres.
A queixosa terá aproveitado uma distracção do suspeito para se deslocar à esquadra. “O objecto da queixa foi um homem de 40 anos, sem ocupação, já com penas cumpridas por tráfico de droga e agressões”, disse ao CM fonte policial.
Uma brigada da DIC tomou conta da investigação. E descobriu um cenário de terror. Duas mulheres, ambas na casa dos 30 anos, tinham todos os movimentos controlados pelo suspeito. “Dormiam numa pequena casa, com apenas dez ou 15 euros diários para alimentação”, referiu o mesmo informador.
Todos os dias, as duas mulheres eram levadas pelo indivíduo para os arredores de Alcochete, onde se prostituíam. “Se fugissem eram agredidas. O suspeito passava lá duas vezes por dia: para receber o dinheiro e para as levar para casa”, disse a fonte.
O indivíduo foi detido pela DIC de Lisboa na terça, precisamente quando contava o dinheiro feito pelas duas mulheres. Presente a Tribunal, o suspeito vai aguardar julgamento em prisão preventiva.
Ver comentários