Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Vizinhos acreditam que menina foi assassinada

Ainda não é conhecida a causa da morte da pequena Vanessa Pereira, a menina de cinco anos que apareceu, anteontem, a boiar no rio Douro, junto ao Cais de Gaia, pouco depois de ter sido dado como desaparecida pela família.
3 de Maio de 2005 às 00:00
A resposta poderá ser dada hoje, pois será autópsia a esclarecer se a menina morreu por afogamento ou homicídio, já que o corpo apresentava nódoas negras. Os vizinhos da família acreditam que Vanessa foi assassinada e querem fazer justiça “com as próprias mãos”.
A menina morava com a avó, o pai, tias e irmãs na Torre 5 do Bairro do Aleixo, no Porto. O CM tentou entrar em contacto com a família, mas a casa encontrava-se vazia. Nem mesmo os vizinhos quiseram prestar declarações.
Supõem, no entanto, que a menina terá sido assassinada, já que dizem querer “saber quem é o responsável” para “fazer justiça com as próprias mãos”.
No Aleixo não se fala de outra coisa, os moradores continuam incrédulos e desesperados por falta de informações. “Não sabemos ainda o que se passou, até porque a Lola (avó da Vanessa) foi para casa de uma irmã e não nos disse nada antes de partir”, adiantou uma vizinha que não se quis identificar.
Vanessa desapareceu da Feira de Canidelo, Gaia, às 08h30 de sábado. Estava lá com a avó e uma tia. Tinham ido comprar sapatilhas para a menina. Apenas uns segundos chegaram para que Vanessa desaparecesse da vista dos familiares, que a procuraram pela zona antes de darem o alerta à GNR.
Volvida apenas uma hora, foi encontrada a uma distância considerável do local onde foi vista viva pela última vez. Estava já morta, no Cais de Gaia. Foi descoberta por Custódio Dias, residente no local, às 9h30. Apesar de intacto, o corpo apresentava nódoas negras que podem ter sido provocadas por queda ou agressões. A PJ do Porto investiga.
QUESTÕES POR CLARIFICAR
DISTÂNCIA
Da feira ao Cais de Gaia, a distância é de cerca de 4 quilómetros. São várias as ruas que vão dar à praia ou ao rio Douro, dependendo da escolha do caminho que se faça. Há dúvidas que a menina fizesse o caminho sozinha.
PERCURSO
Vanessa Pereira teria de percorrer a pé, em apenas 40 minutos, quatro quilómteros para chegar ao local onde foi encontrada. A GNR de Canidelo, que chegou a andar à sua procura, adiantou que ninguém a viu no percurso.
DÚVIDAS
O corpo da criança apresentava algumas nódoas negras que poderão ter sido provocadas pela queda ou agressões. Conjectura-se que Vanessa poderá ter caído nas pedras junto ao rio, ou ter passado por um areal antes de chegar à água.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)