Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

ZOO SEM DINHEIRO

O Jardim Zoológico celebrou ontem 120 anos de existência, numa altura em que a instituição se depara com dificuldades financeiras para asobras exigidas por lei e que têm de ser efectuadas até 2005.
19 de Maio de 2004 às 00:00
De acordo com a legislação nacional, que transpôs uma directiva comunitária, os parques de animais têm de cumprir certos requisitos relacionados com a dimensão e qualidade do espaço, sob pena de serem encerradas determinadas zonas, o que poderá acontecer com a dos grandes primatas e a dos felinos no Zoo de Lisboa, no caso de as obras não serem realizadas.
Apesar de facturar cerca de 10 milhões de euros por ano, o Zoo não tem capacidade financeira para realizar as obras estruturais naquelas duas zonas, mas terá de as efectuar até Abril do próximo ano para cumprir a lei.
Para fazer face às obras, orçamentadas em quase 50 milhões de euros, o Zoo assinou um protocolo, em Maio de 2000, com o Governo e a Câmara Municipal de Lisboa, mas ainda não foi feita qualquer transferência de verbas.
“Com a mudança de Governo e de executivo camarário, as negociações pararam durante muito tempo”, disse à Lusa Fernando Salema Garção, um dos administradores do Zoo, acrescentando que “não tem sido possível dialogar com a Câmara” e que, apesar de algumas reuniões com o Governo, “não há ainda nada de concreto em termos de verbas”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)