Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
5

Manifestações em vários continentes antes da cimeira de Glasgow

Em Portugal, dezenas de jovens concentraram-se à porta da escola António Arroio, em Lisboa.
Lusa 22 de Outubro de 2021 às 17:48
Estudantes em Lisboa organizam mais uma manifestação por justiça climática
Estudantes em Lisboa organizam mais uma manifestação por justiça climática
Estudantes em Lisboa organizam mais uma manifestação por justiça climática
Estudantes em Lisboa organizam mais uma manifestação por justiça climática
Estudantes em Lisboa organizam mais uma manifestação por justiça climática
Estudantes em Lisboa organizam mais uma manifestação por justiça climática
Ativistas ambientais realizaram esta sexta-feira protestos em vários continentes para pressionar os governos a cumprirem ações que contrariem o aquecimento global, antes da cimeira do clima das Nações Unidas, em Glasgow.

Manifestações decorreram em vários países, no Uganda, no Bangladesh, na Índia, na Suécia, na Alemanha e em Portugal, para exigir medidas que impeçam perigosos níveis de aquecimento e tenham em conta a situação dos povos mais pobres, que são particularmente atingidos pela mudança do clima.

Milhares de pessoas, sobretudo jovens, deslocaram-se até ao icónico Portão de Brandemburgo, na Alemanha, carregando faixas e cartazes, enquanto gritavam palavras de ordem como "Age agora ou nada mais tarde" e "Não derretam o nosso futuro".

Muitos apelaram ao novo Governo alemão para dar mais atenção à mudança climática. Três partidos, incluindo os ambientalistas Verdes, estão a negociar a formação de uma coligação governamental, na sequência das eleições de 26 de setembro, que relegou para segundo lugar a união de centro-direita da chanceler Angela Merkel.

Este bloco não faz parte das negociações, embora Merkel deva participar na cimeira da ONU sobre o clima, no próximo mês como chefe de um governo interino.

Em Estocolmo, a ativista sueca Greta Thunberg participou no protesto. A sua greve semanal às aulas pelo clima (sexta-feira) ajudou a inspirar um movimento internacional de contestação que ganhou forma em grandes manifestações regulares, antes de a pandemia de covid-19 impedir ajuntamentos.

Em Portugal, várias dezenas de jovens do coletivo "Greve Climática Estudantil" concentraram-se à porta da escola António Arroio, em Lisboa, tendo-se juntado depois a alunos em outras duas escolas para se manifestarem em defesa da urgência de justiça climática

Ver comentários