Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
1

Militares em "alerta vermelho" com aproximação de furacão Lorenzo

Passagem de catástrofe natural prevista entre as 00h00 e as 16h00 de quarta-feira.
Lusa 1 de Outubro de 2019 às 19:00
Mau tempo nos Açores
Chuva
Chuva
Mau tempo nos Açores
Chuva
Chuva
Mau tempo nos Açores
Chuva
Chuva
Os meios militares sediados nos Açores estão desde as 16h00 desta terça-feira em "estado de alerta laranja", passando a "estado de alerta vermelho" entre as 00h00 e as 16h00 de quarta-feira devido à passagem do furação "Lorenzo".

Em comunicado, o Comando Operacional dos Açores informa que, na sequência da ativação do Plano Regional de Emergência de Proteção Civil do arquipélago, o estado de alerta dos meios militares sediados na região autónoma foi aumentado a partir das 16h00 para "laranja" (prontidão de duas horas).


"A prontidão destes meios passará a imediata (estado de alerta vermelho) entre a meia-noite e as dezasseis horas de amanhã [quarta-feira], dia 02 de outubro de 2019", é referido na nota.

O Comando Regional dos Açores indica ainda que, como medidas preventivas adicionais, o navio "Setúbal" foi posicionado na ilha Terceira, no grupo Central, "a fim de garantir uma resposta mais rápida a uma eventual necessidade e o dispositivo da Base Aérea n.º 4 foi reforçado com uma tripulação de EH101".

Numa nota da Força Aérea é referido que, na segunda-feira, foram transportados a bordo de uma aeronave C-295M uma equipa de nove bombeiros e quatro operacionais do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA), entre a ilha Terceira e as Flores, "para reforço do efetivo de apoio à população nesta localidade, face à passagem do furacão 'Lourenzo'".

"Este apoio foi realizado no seguimento de um pedido do SRPCBA às Forças Armadas. Neste voo foi ainda transportado diverso material de apoio às operações", adianta a Força Aérea.

Os primeiros efeitos do furacão "Lorenzo", atualmente na categoria 2, deverão começar a fazer-se sentir a partir da noite deste terça-feira nos grupos Ocidental (Flores e Corvo) e Central (Terceira, São Jorge, Pico, Graciosa e Faial) dos Açores, com vento forte, agitação marítima e chuva.

Em declarações a agência Lusa, o delegado do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) nos Açores, Carlos Ramalho, disse que as duas ilhas que compõem "o grupo Ocidental do arquipélago deverão ser as mais atingidas".

O IPMA refere que, "mantendo-se as previsões da trajetória, o centro do furacão deverá passar com categoria 1, na quarta-feira, ligeiramente a oeste das Flores, afetando especialmente o grupo Ocidental".

Porém, "todo o arquipélago sentirá efeitos do furacão".

As previsões continuam a indicar para o grupo Ocidental vento sueste, rodando para noroeste com rajadas na ordem dos 190 quilómetros por hora (com uma probabilidade de 40% de a rajada máxima ser superior a 200 quilómetros por hora), chuva por vezes forte e ondas de sul, passando a sudoeste, com altura significativa entre 10 e 15 metros, podendo a altura máxima de onda atingir os 25 metros.

Para o grupo Central a previsão aponta para vento sudoeste com rajadas até 160 quilómetros por hora, períodos de chuva e ondas de sudoeste passando a oeste com altura significativa entre nove e 12 metros, podendo a altura máxima de onda atingir os 22 metros.

No grupo Oriental (São Miguel e Santa Maria), haverá vento sul rodando para oeste com rajadas até 100 quilómetros por hora e ondas de sudoeste com altura significativa de sete a nove 9 metros.

Esta noite, pelas 21h00 locais (mais uma hora em Lisboa), o IPMA emite um novo comunicado.
Lorenzo Açores Central Força Aérea SRPCBA Ocidental IPMA meteorologia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)