Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
5

40% das receitas proíbem genéricos

"Está a ver este monte de receitas que aqui tenho? Mais de metade tem lá a cruz a proibir a troca do fármaco receitado por um genérico."

3 de Abril de 2009 às 00:30
Genéricos debatidos no Parlamento
Genéricos debatidos no Parlamento FOTO: D.R.

O que o Correio da Manhã ouviu numa farmácia de Guimarães, escutou também numa outra em Viseu e numa terceira, mais a Sul, em Évora.

A Associação Nacional de Farmácias não tem dúvidas de que "pelo menos" 40 por cento das receitas proíbem a troca por genéricos, e considera que se trata de uma "percentagem assustadoramente alta, quando comparada com aquilo que se passa nos países mais desenvolvidos da Europa.

A ANF recusa-se a avançar com razões para este facto, mas os farmacêuticos, embora atalhem que se está "perante algo que não é nada fácil de provar", lá vão admitindo que há clínicos com ligações fortes a empresas de fabrico e comércio de medicamentos.

"Estamos numa espécie de luta em que estão as farmácias e os cidadãos de um lado e os médicos aliados à Indústria de fármacos (APIFARMA) do outro. Isto não é por acaso", disse ao CM um farmacêutico, que preferiu o anonimato.

João Cordeiro, presidente da ANF, disse ontem "haver pessoas que não levam os remédios todos para casa porque não têm dinheiro para os pagar", o que é um "problema de saúde pública".

A ministra da Saúde, Ana Jorge disse estar atenta ao conflito entre a ANF e a Ordem dos Médicos: "Estamos a acompanhar a situação."

Por outro lado, confrontada com a atitude dos farmacêuticos em sugerir medicamentos diferentes aos que foram prescritos pelos médicos, Ana Jorge foi peremptória: "Tanto os farmacêuticos como os médicos têm de se reger pelo seu código deontológico", mas admitiu "intervir" se houver ilegalidades.

Segundo os dados da ANF, só no dia de ontem, os utentes pouparam 14 600 euros ao optarem por um genérico, enquanto o Estado poupou 29 400 euros.

PORMENORES

PORTUGUESES CORTAM

O tema foi lançado pelo ‘CM’ no dia 15 de Março e reafirmado ontem pela ANF: 230 mil portugueses não levam remédios para casa por falta de dinheiro.

MÉDICOS FALAM DE CRIME

A Ordem dos Médicos fez saber que fará queixa ao Ministério Público ao saber que uma farmácia altera uma receita médica.

GENÉRICOS DE QUALIDADE

Os farmacêuticos dizem que os genéricos têm a mesma qualidade dos fármacos de marca.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)