Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
1

447 mil diplomas numa década

Nos últimos dez anos formaram-se nas universidades e politécnicos públicos 447 mil estudantes, um terço dos quais nas cinco maiores universidades do País: Porto, Técnica de Lisboa, Clássica de Lisboa, Coimbra e Minho.
12 de Julho de 2009 às 00:00
O fim dos cursos superiores é marcado pelas festas das Queimas
O fim dos cursos superiores é marcado pelas festas das Queimas FOTO: Marta Vitorino

Dos dados do Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério do Ensino Superior, afere-se que o ensino politécnico nas principais cidades – Lisboa, Porto e Coimbra – continua a oferecer mais soluções de aprendizagem e a despertar mais procura do que as universidades de cidades ‘descentralizadas’, como são os casos de Aveiro, Algarve, Trás-os--Montes, Évora e Beira Interior. Nas ilhas, ainda há um longo caminho a percorrer: nos Açores formaram-se 545 alunos em 2007/08 (5937 em dez anos), na Madeira foram 800 (4547 desde 1998/99).

Sobre a evolução do número de diplomados no sistema público de ensino, verifica-se uma subida superior quando comparada com a evolução do número de vagas abertas: dos cerca de 30 mil que saíram de canudo na mão em 1999, passou para 62 mil no ano passado. Uma das justificações para este aumento encontra-se na aplicação das regras do Processo de Bolonha, com os primeiros licenciados de 1º Ciclo a saírem para o mercado de trabalho em 2006/07. Nos próximos anos deve assistir-se a um grande aumento do número de mestres, que ‘substituem’ os antigos licenciados.

OS CUSTOS DA INSULARIDADE

São as universidades que estão mais longe dos pólos de decisão do País e que, por isso, têm menos capacidade para atrair estudantes e docentes. Na lista dos diplomados por instituição, a Universidade da Madeira é a última no Ensino Universitário: nos últimos dez anos concluíram o curso no Funchal 4547 alunos. No entanto, em 2008 o número de formados foi quase o dobro do do ano anterior. Nos Açores, saíram da Universidade quase seis mil formados desde 1999. 

Ver comentários