Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

74 mil querem saber se repetem Português

Aluna de escola católica poderá ser a voz que revelou conteúdos do exame.
João Saramago 28 de Junho de 2017 às 09:28
 Investigação levou IGEC aos Salesianos de Lisboa
Alunos
Tiago Brandão Rodrigues
Ensino Superior
Ensino Superior
 Investigação levou IGEC aos Salesianos de Lisboa
Alunos
Tiago Brandão Rodrigues
Ensino Superior
Ensino Superior
 Investigação levou IGEC aos Salesianos de Lisboa
Alunos
Tiago Brandão Rodrigues
Ensino Superior
Ensino Superior
A investigação que conduziu a Inspeção-Geral da Educação e Ciência ao colégio Salesianos de Lisboa, sobre a alegada fuga de informação no exame de Português do 12º ano, está a desesperar os 74 mil alunos que fizeram a prova. Querem saber se vão ser obrigados a repetir o exame.

As suspeitas de ter existido fuga de informação sobre o conteúdo da prova surgem após a divulgação na internet de uma comunicação de uma rapariga a dar conta da matéria que foi mesmo a exame.

A apenas duas semanas de serem divulgadas – dia 13 de julho – as notas da 1ª fase dos exames, fonte da Procuradoria Geral da República esclareceu ontem ao CM que prossegue a investigação no Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa, após uma queixa do Instituto de Avaliação Educativa (organismo que gere a elaboração dos exames).

O Ministério da Educação não adianta pormenores sobre a investigação, pois ainda está em curso, nem se vai ou não repetir o exame.

Elementos do IGEC terão estado na Comunidade Educativa Salesianos de Lisboa para recolherem indícios da alegada fuga de informação. A voz feminina que revela o conteúdo do exame poderá ser uma aluna da instituição privada de formação católica.

O CM contactou a direção da escola, mas não obteve qualquer resposta.

Incorre em pena de prisão até 3 anos  
A fuga de informação sobre o conteúdo do exame do 12º ano de Português implica a prática de violação de segredo. O autor incorre num crime cuja moldura penal é de três anos de prisão e expulsão da Administração Pública.

Exame de Matemática pontua opção errada 
A Sociedade Portuguesa de Matemática "lamenta" que a proposta de correção do Instituto de Avaliação Educativa  para o item 14 do exame do 9º ano atribua "75% da cotação a uma resposta integralmente errada".

Na avaliação global do exame, a sociedade considera que a "prova é bastante acessível". Posição partilhada pelos alunos da Escola Básica Manuel Ferreira Patrício, em Évora, e da escola José Gomes Ferreira, em Lisboa.

SAIBA MAIS
21

anos tem o atual sistema de realização de exames do 12º ano e que garante o acesso ao Ensino Superior. Em junho de 2012 ocorreu uma outra fuga de informação também a português.

Operação ‘Chapim’

A guarda dos milhares de enunciados cabe à GNR. A operação este ano designada de ‘Chapim’ termina a 4 de agosto.
Ver comentários