Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

80 mil professores para 618 novas vagas

São 80 mil os professores que deverão participar, a partir das 10h00 de hoje, no concurso para o qual o Ministério da Educação só abriu 618 novas vagas nas escolas.
23 de Abril de 2013 às 01:00

Os professores reclamam os lugares reais que os diretores de escola propuseram ao Ministério e que são superiores a esse número – entre cinco a seis mil. A Fenprof reivindica a suspensão do concurso.

Mário Nogueira, secretário--geral da maior estrutura sindical dos professores (Fenprof), estima que o número de docentes a concorrer deverá ser recorde. "Serão 50 mil professores a contrato, 10 mil do quadro que estão em zona pedagógica – e por isso não têm uma escola atribuída –, mais 10 mil que estão em horário zero ou receiam vir a ficar se permanecerem na mesma escola e outros 10 mil que desde 2009 não puderam mudar de escola", explicou.

A Fenprof contesta ainda a validade do concurso que vai vigorar nas escolas nos próximos quatro anos por haver estabelecimentos de ensino, nomeadamente nos concelhos de Castelo Branco, Covilhã, Vila do Conde ou Loures, que em setembro não existirão, por via dos novos agrupamentos.

Além do reduzido número de vagas a concurso, a Fenprof receia o encerramento de outros 12 mil postos de trabalho. Isto porque foram contabilizados 12 003 lugares em que, caso o professor seja reformado ou transferido, o lugar que deixa vago não pode ser ocupado.

LEIA MAIS NA EDIÇÃO EM PAPEL DO JORNAL 'CORREIO DA MANHÃ'.

PROFESSORES VAGAS ENSINO EDUCAÇÃO DOCENTES
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)