Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Abertos oito processos-crime

São já oito os processos-crime instaurados no âmbito da investigação da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) a produtos com vestígios de carne de cavalo. Ao CM, António Nunes, presidente da ASAE, afirmou que número poderá aumentar nos próximos dias. Até ao momento, foram apreendidas 79 toneladas de produto congelado com carne picada, que poderão ser entregues a instituições de solidariedade social.
1 de Março de 2013 às 01:00

"Inicialmente foram instaurados cinco processos--crime que, desde hoje [ontem], passaram a oito", revelou ao CM António Nunes, explicando que "isso não significa mais pessoas envolvidas, mais entidades ou toneladas".

Segundo o presidente da ASAE, o número de processos--crime "poderá aumentar nos próximos dias", acrescentando que isso se deve "à necessidade de desdobrar os processos pelas respetivas comarcas onde serão julgados".

Quanto ao futuro das 79 toneladas de produto congelado com vestígios de carne de cavalo, António Nunes considera uma boa solução a sua entrega a instituições de solidariedade. "É um bom destino, mas os consumidores têm de saber o que estão a comer", afirmou, esclarecendo que o produto apreendido está "selado e armazenado nos operadores, pois são eles que têm câmaras-frigoríficas para o conservar".

A decisão final cabe às autoridades judiciais que, durante a próxima semana, poderão determinar qual o destino do produto apreendido, tendo em conta as condições e validade.

Sobre esse pormenor, o presidente da ASAE desdramatiza, dizendo que se trata de produto congelado "com prazos de consumo que podem ir de um mês a um ano".

carne cavalo asae antónio nunes
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)