Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
4

"Aborto está a ser um negócio"

O cardeal-patriarca de Lisboa diz que a prática do aborto está banalizada em Portugal, e que a lei da interrupção voluntária da gravidez (IVG), "apesar de ser má, não está a ser cumprida".
12 de Abril de 2013 às 01:00

Na conferência de imprensa final da Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa, ontem, em Fátima, D. José Policarpo afirmou que "o aborto está a ser um negócio" para certas clínicas privadas.

"Na lei está prevista como obrigatória uma conversa da mulher que quer fazer aborto com alguém preparado e isso praticamente deixou de existir", acusou o patriarca, criticando "a transposição desses casos, certamente para aliviar os hospitais públicos, para clínicas cujo negócio é esse".

Na nota pastoral ‘A força da família em tempos de crise’, os bispos sublinharam que é graças às famílias que os efeitos da crise não são mais devastadores, criticaram a falta de apoios e incentivos à natalidade e condenaram a banalização do aborto.

Entretanto, os prelados decidiram realizar a cerimónia de consagração do pontificado do papa Francisco a Nossa Senhora de Fátima na peregrinação do próximo dia 13 de Maio. A cerimónia consta de uma oração na Capelinha das Aparições e estarão presentes todos os bispos.

aborto ivg lei jose policarpo igreja
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)