Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Alçada aposta no acordo

A ministra da Educação, Isabel Alçada, acredita que os sindicatos dos professores vão aceitar a proposta para a revisão do estatuto da carreira e avaliação docente. Hoje é o dia decisivo das negociações depois de, na semana passada, não terem chegado a acordo.
7 de Janeiro de 2010 às 00:30
Ministra diz que é tradição atribuir ‘Bom’ aos professores
Ministra diz que é tradição atribuir ‘Bom’ aos professores FOTO: António José/Lusa

Os sindicatos defendem que os professores avaliados com ‘Bom’ devem poder chegar ao topo da carreira, tal como acontece aos que recebem ‘Muito Bom’ e ‘Excelente’. Isabel Alçada, por sua vez, diz que os professores com ‘Muito Bom’ e ‘Excelente’ devem ter uma progressão mais rápida, enquanto os que forem avaliados com ‘Bom’ devem estar dependentes de vagas.

Na véspera das reuniões com os sindicatos, a ministra da Educação revelou que 87 por cento dos professores foram classificados com ‘Bom’ no último ano lectivo. Para Isabel Alçada "esta percentagem tão elevada justifica-se com a tradição de atribuir esta nota aos docentes por parte de quem avalia".

Durante a visita ao Projecto-Piloto do Plano Tecnológico da Secundária Amato Lusitano, em Castelo Branco, a ministra da Educação acrescentou que "houve menos de 0,5 por cento de classificações ‘Regular’ ou ‘Insuficiente’".

É com base nestes números que a ministra Isabel Alçada pretende "distinguir os professores que obtenham ‘Muito Bom’ e ‘Excelente’ com a progressão mais rápida na carreira".

Para hoje, a expectativa da governante é que se chegue a acordo. "Têm existido sucessivas aproximações entre as nossas propostas e aquilo que as organizações sindicais nos têm feito chegar e que consideram ser importante para o estatuto da carreira docente e para a avaliação", referiu Isabel Alçada, acreditando no bom senso dos líderes dos vários sindicatos que hoje se vão sentar a negociar: "Se os professores analisarem bem a nossa proposta vão aceitá-la. O ministério apresentou um projecto equilibrado que vai ao encontro daquilo que é uma carreira boa para os professores e equilibrada com outras carreiras".

PORMENORES

FENPROF IRREDUTÍVEL

Mário Nogueira, secretário--geral da Fenprof, diz que "não vale a pena continuar a discutir outras questões se não ficar claramente escrito que todos os professores com avaliação de ‘Bom’ chegam ao topo da carreira".

FNE EXPECTANTE

João Dias da Silva, presidente da FNE, encara esta ronda com abertura, defendendo que o diálogo com o ministério deve continuar noutras questões caso não se chegue a acordo na progressão dos professores com ‘Bom’.

SIPE QUER BOM SENSO

Júlia Azevedo, presidente do Sindicato Independente de Professores e Educadores (SIPE), espera "bom senso" do ministério. "Se isso não acontecer, vamos pressionar a nível político", sublinhou.

4 MILHÕES PARA ESCOLA

Em Castelo Branco, a ministra Isabel Alçada lançou a primeira pedra da Escola Básica 2/3 Afonso de Paiva que custará cerca de quatro milhões de euros.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)