Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Alcobaça: Professores de inglês sem salário desde Outubro

Os professores da actividade de enriquecimento curricular de inglês das escolas de Alcobaça não recebem desde Outubro do ano passado, segundo o Sindicato dos Professores da Região Centro, que vai exigir às empresas responsáveis o pagamento dos salários.
29 de Março de 2012 às 14:38
Professores, Salário, Região Centro, Sindicato
Professores, Salário, Região Centro, Sindicato FOTO: d.r.

"O Instituto de Artes Musicais (IAM) e a empresa Futurscholl ainda não pagaram os salários dos meses de Outubro e Novembro de 2011 e os meses de Janeiro, Fevereiro e Março de 2012, respectivamente", denuncia o sindicato num comunicado em que considera também "inaceitável" a situação em que se encontram os profissionais.

"Estes docentes, ao arrepio da legislação específica que rege as actividades de enriquecimento curricular, estão a recibo verde, o que é manifestamente ilegal e com consequências na contagem do tempo de serviço prestado, para efeitos de concurso", acrescenta o sindicato, que vai solicitar uma reunião às empresas para exigir "o pagamento dos salários em atraso e a reposição da legalidade contratual".

Contactado pela Lusa, o IAM confirmou a existência de salários em atraso, mas o administrador da empresa, Jorge Santos, disse estar "a proceder aos pagamentos de Outubro e Novembro a todos os professores que já entregaram os recibos".

Segundo o responsável, os atrasos no pagamento devem-se "a atrasos da Câmara [de Alcobaça], que só este mês efectuou o pagamento, porque havia uma discrepância de valores".

Por sua vez, o departamento de Educação da autarquia justificou o atraso no pagamento à empresa com "demoras no recepcionamento das facturas devidamente preenchidas e discriminadas", situação que "se repetiu por diversas vezes" e que levou o município a suspender o contrato com o IAM em Novembro de 2011.

A prestação do serviço passou então a ser feita pela Futurscholl, que recusou responder às questões colocadas pela Lusa.

A Câmara desconhece as causas do atraso no pagamento aos docentes por parte desta empresa e adianta que a autarquia "está a proceder aos pagamentos dentro do prazo estipulado de 60 dias após a entrega das facturas".

Professores Salário Região Centro Sindicato
Ver comentários