Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
9

Algarve está sem controlo do vírus H1N1

O vírus da gripe A (H1N1) está sem controlo no Algarve, com a região a registar já uma cadeia de transmissão na comunidade. Uma situação que justifica o aumento do número de novos casos em Portugal. Nas últimas horas registaram-se mais 149 novos infectados, totalizando 1210 casos de infecção confirmada desde Maio.
16 de Agosto de 2009 às 00:30
Algarve está sem controlo do vírus H1N1
Algarve está sem controlo do vírus H1N1 FOTO: Luís Costa, Algarvephotopress

Nuno Mourão, director da Unidade de Cuidados Intensivos (UCI) do Hospital Curry Cabral (HCC), em Lisboa, uma das unidades de referência para os casos de gripe A, explicou a situação: 'Admitimos todos, pelo número de casos que aparecem de doentes provenientes do Algarve, para o qual não se encontra qualquer ligação epidemiológica com outros doentes, que possa haver já uma cadeia de transmissão na comunidade.'

Uma das doentes mais recentes, que passou férias no Algarve, foi internada sexta-feira naquela unidade de saúde. Trata-se de uma mulher de 48 anos que regressada a casa, em Santarém. Começou com sintomas gripais e dirigiu-se ao Serviço de Urgência do hospital daquela cidade. 'A doente está com pneumonia e está internada na UCI com prognóstico reservado', afirmou Nuno Mourão. A mulher tem antecedentes de doença crónica, que os médicos escusaram-se a pormenorizar.

Sem doenças anteriores está uma segunda paciente, também com complicações associadas à infecção da gripe A. Trata-se de uma mulher de 30 anos, que teve um bebé há pouco tempo. Tem pneumonia e foi internada no HCC quinta-feira, depois de transferida do Hospital de São Francisco Xavier. 'Nas últimas horas registou uma ligeira melhoria da sua situação clínica.'

fonte do Ministério da Saúde informou que o bebé 'está bem'.

As duas mulheres têm insuficiência respiratória por pneumonia bilateral e até à data não necessitaram de ventilação assistida nem se verificou falência de outros órgãos ou sistemas. Está ainda internado um homem de 26 anos igualmente com pneumonia, transferido na sexta-feira do Hospital de Santa Maria. A sua situação clínica registou uma evolução positiva e o prognóstico é favorável. No Hospital de Santo André, em Leiria, está internada uma jovem de 20 anos com gripe A e um historial clínico de asma brônquica. A mulher necessitou de suporte cardiorrespiratório e está com suporte ventilatório.

ESTADO CRÍTICO

A mulher de 30 anos internada desde dia 7 no Hospital de São João, no Porto, com gripe A, mantém-se em 'estado crítico', disse fonte da unidade hospitalar. A doente está internada na Unidade de Cuidados Intensivos do Serviço de Doenças Infecciosas, com 'prognóstico reservado', acrescentou a fonte. 

RECEIO DE CONTÁGIO FAZ DOENTE ESPERAR MAIS DE CINCO HORAS

Um homem, de 58 anos, suspeito de ter gripe A, esperou cinco horas por assistência, ontem, em Quarteira. Só com uma mentira de um GNR é que o doente foi assistido.

José Fernandes, doente há duas semanas com febre, tosse e diarreia, piorou ontem. A mulher, Maria Fernandes, ligou para o INEM cerca das 13h00 e o caso foi encaminhado para a Linha Saúde 24 (LS24). 'Disse os sintomas e pelo que percebi, podia ser gripe A e devia esperar em casa por ambulância', garante.

Com a demora, a mulher ligou à GNR mas, ao chegar e deparar-se com a suspeita, o militar disse que não podia tratar do caso. O GNR ligou à LS24 de onde disseram ter informado o Hospital de Faro (HdF). O HdF indicou que o transporte não era da sua alçada e os bombeiros recusavam sair sem ordem superior. Às 18hoo, um GNR ligou de novo ao INEM, dando conta de um homem caído na rua. A ambulância chegou em 15 minutos. Após avaliação, ainda que inconclusiva, foi afastada a hipótese de gripe A. O homem acabou por ir, pelos seus meios, ao centro de saúde de Loulé para exames.

O Ministério da Saúde (MS) diz que a suspeita de gripe A foi afastada no primeiro telefonema e foi explicado que o doente devia ir às Urgências. Só às 17h23 é que foi comunicado que o paciente não tinha transporte, garante o MS.

MILITAR DA GNR COM GRIPE A

Um militar do Grupo de Intervenção Protecção e Socorro (GIPS) da GNR na Lousã tem gripe A e está de baixa. Ao que o CM apurou, o militar encontrava-se de folga e foi a uma consulta médica. O clínico pediu ao serviço da GNR, que está instalado no Centro de Meios Aéreos (CMA), para levar o militar aos HUC, em Coimbra. 'O comandante e o condutor levaram o militar no jipe da GNR, devidamente protegidos com luvas e máscaras', garantiu fonte do comando nacional da corporação.

De acordo com a mesma fonte, não há registo de outros militares com sintomas. Um elemento do GIPS-GNR relatou ao CM que desde a confirmação do caso de gripe A foi imposta quarentena aos 30 militares do posto. Uma denúncia desmentida pelo comando nacional. 'Não há qualquer restrição de movimentos e ainda hoje [ontem] os militares saíram de helicóptero.' Pedro Santa, segundo-comandante dos Bombeiros da Lousã, corporação que tem dois elementos em permanência no CMA, disse desconhecer qualquer caso de gripe A.

SENSIBILIZAÇÃO EM FÁTIMA

Centenas de pessoas passaram ontem pelas três unidades móveis instaladas no Santuário de Fátima, onde foram sensibilizadas para os cuidados a ter para evitar a gripe A. Algumas fizeram rastreio mas não se verificou nenhum caso suspeito. Ontem cerca de 50 mil pessoas assistiram à missa internacional.

'DEVEM EVITAR AS MULTIDÕES' (Cristina Bárbara, Dir. Hospital Pulido Valente)

Correio da Manhã – Os elevados índices de ozono, nos últimos dias, estão relacionados com o aumento do número de novos casos de gripe A (H1N1) no País?

Cristina Bárbara – Desconheço a relação, mas não há evidência que possa haver essa relação causal.

– As pessoas com asma brônquica ou outras doenças do foro respiratório estão mais em risco de serem infectadas pelo novo vírus da gripe A?

– Não, as pessoas com dificuldades respiratórias crónicas, como a Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC), estão mais em risco de desenvolver complicações, como infecções respiratórias e pneumonias.

– O que podem fazer estas pessoas para evitar o risco?

– Devem evitar os aglomerados, multidões e locais mal ventilados, como o metro, discotecas, centros comerciais. As pessoas que contactam com estes doentes devem ter normas de higiene e etiqueta respiratória, ou seja, lavagem das mãos frequente, espirrar no antebraço.

GRIPE VISTA À LUPA

MAIS 149 CASOS

Portugal voltou a registar mais de 100 casos num único dia: 149, elevando para 1210 as infecções com gripe A.

FORÇAS ARMADAS

O Hospital Militar de Belém foi equiparado aos hospitais de referência e foi criada uma comissão de acompanhamento que integra os três ramos.

UM MORTO NO JAPÃO

O Japão anunciou a primeira vítima mortal da gripe A: um homem de cerca de 50 anos, que sofria de doença crónica.

NOTAS

TAMIFLU: SEM VERSÃO INFANTIL

O Tamiflu deixou de ter versão para crianças em Portugal. O laboratório aconselha pais a manipularem o remédio; o Infarmed diz serem recomendações da Agência Europeia do Medicamento.

MÁSCARAS: 53 MIL VENDIDAS

Entre Janeiro e Junho deste ano foram vendidas 53 mil máscaras, de acordo com a IMS-Health, o que representa um aumento de 120 por cento em comparação com o mesmo período de 2008.

ANTIVIRAIS: 37 MIL EM ABRIL

Em Abril, antes da confirmação do primeiro caso de gripe A no País, foram vendidas 36 695 unidades dos antivirais Oseltamivir e Zanamivir, segundo a consultora IMS-Health.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)