Alta tensão fica fora de zonas residenciais

Estabelecidos critérios de minimização e monitorização da exposição a campos magnéticos.
Por Edgar Nascimento e Raquel Oliveira|15.02.18
As linhas elétricas de alta e muito alta tensão vão deixar de poder passar sobre unidades de saúde, estabelecimentos de ensino, lares de idosos, parques infantis, instalações desportivas e prédios e moradias utilizadas como residências permanentes.

Só nos casos em que não haja alternativa técnica economicamente viável (como linhas subterrâneas), é que será possível a sobrepassagem em infraestruturas sensíveis — mas é obrigatório o acordo por escrito do proprietário e a adoção de soluções de minimização dos impactos.

O decreto-lei, que é publicado hoje em Diário da República, estabelece critérios de minimização e de monitorização da exposição da população a campos magnéticos, elétricos e eletromagnéticos.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!