Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
7

Aluna admite estalo a docente

"Só me defendi. Dei-lhe um estalo depois de ela me bater. Não me quis explicar porque queria que eu fosse outra vez de castigo para a sala de estudo", explicou ao CM a aluna de 13 anos que agrediu uma professora anteontem na escola EB 2,3 Aires Barbosa, em Esgueira, Aveiro.
18 de Março de 2009 às 00:30
A mãe, Sandra Cardoso, vai levar o caso a tribunal
A mãe, Sandra Cardoso, vai levar o caso a tribunal FOTO: Sónia Caldas

As declarações da estudante e dos pais, revoltados com o sucedido, contrariam a versão oficial da escola, que adiantou que tudo ocorreu numa aula quando a menina "mal comportada, repetente e com um trajecto escolar atribulado" não acatou uma ordem. "Os pais dizem que ela é muito nervosa mas isso não é desculpa", referiu a presidente do Conselho Executivo da escola, Elsa Jorge. A professora agredida teve de ir ao hospital. A conclusão do inquérito será hoje conhecida, tal como a sanção disciplinar.

"Se a minha filha for transferida, a professora também tem de ser", disse a mãe, Sandra Cardoso, que chamou a atenção para as pisadelas que a filha ostenta, prometendo levar o caso a tribunal. Na Quinta do Simão, Cacia, Aveiro, familiares e vizinhos estavam irritados.

"Não tinha o direito de bater na minha filha", continuou a mãe, desempregada, de 32 anos, que tem mais cinco filhos menores. Uma das filhas, com 14 anos, também estuda naquela escola. "Se a professora tivesse carinho pelos alunos isto não tinha acontecido, andava a implicar com ela há três meses", lamentou o pai.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)