Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Alunos protestam contra fusão de cursos

A proposta de fusão dos sete cursos já tem a aprovação do Ministério da Saúde e da Educação.
27 de Março de 2014 às 17:08
Os estudantes de Tecnologias da Saúde protestam junto ao Ministério da Saúde em Lisboa
Os estudantes de Tecnologias da Saúde protestam junto ao Ministério da Saúde em Lisboa FOTO: LUSA\Manuel de Almeida

Cerca de duzentos estudantes dos cursos de Tecnologias da Saúde concentram-se esta quinta-feira em frente ao Ministério da Saúde, em Lisboa, para protestar contra a proposta de fusão dos ciclos de formação.

“Não à fusão, sim à educação”, “sonhei com a especialização, não com uma promoção”, foram algumas das palavras de ordem gritadas pelos alunos que temem vir a ser prejudicados com as alterações aos ciclos de formação propostas pela Agência de Avaliação e Creditação do Ensino Superior (A3ES).

"Há uma tentativa de imposição de um novo modelo de formação para algumas tecnologias da saúde. Num momento em que a saúde tende a ser cada vez mais especializada, o governo está a tentar vender 'super técnicos', com uma clara diluição de competências", alertou Luís Metello, presidente da Associação Portuguesa de Técnicos de Medicina Nuclear.

"Com esta proposta, vamos ter quatro anos de um curso que terá correspondência a três profissões. Como é que em quatro anos nós vamos especializar em três áreas distintas e garantir cuidados de saúde de qualidade?", questionava Margarida Rato, aluna de 21 anos da Escola Superior de Tecnologias da Saúde de Lisboa (ESTEL).

Ver comentários