Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Ambiente chumba terminal de contentores no Barreiro

Declaração de Impacte Ambiental desfavorável trava projeto de 600 milhões de euros.
Edgar Nascimento 6 de Março de 2020 às 08:33
O terminal de contentores ficaria localizado na frente ribeirinha do Barreiro, nos terrenos da antiga Quimigal
O terminal de contentores ficaria localizado na frente ribeirinha do Barreiro, nos terrenos da antiga Quimigal FOTO: Miguel Barreira
O Governo anunciou ontem que a construção do terminal de contentores do Barreiro, um projeto de 600 milhões de euros, "não avançará", devido à Declaração de Impacte Ambiental desfavorável emitida pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

O chumbo da Declaração de Impacte Ambiental referente ao projeto, previsto para os terrenos industriais da Baía do Tejo, data de dezembro de 2019 e refere que a obra traria "impactes hidromorfológicos significativos resultantes dos elevados sedimentos a dragar, quer em fase de construção (de 23 a 25 milhões de metros cúbicos de areias), quer em fase de manutenção (de 1,3 a 2,4 milhões de metros cúbicos)".

De acordo com a APA, também seria dragado um "elevado volume (485 mil metros cúbicos) de sedimentos de classe 4", que se encontram contaminados e são o segundo tipo mais grave. Estes sedimentos iriam causar "impactes muito significativos sobre a qualidade da água e os sistemas ecológicos, com a alteração do estado da massa de água", o que poderia afetar até "os usos da água, nomeadamente a atividade piscatória, a apanha de bivalves e a atividade balnear, com potencial risco para a saúde humana".

Em reação, a autarquia do Barreiro, que no prazo de consulta pública tinha-se pronunciado favorável ao projeto devido ao desenvolvimento que poderia trazer à região (alertando contudo para as condicionantes, sobretudo ambientais e de acessibilidades), afirmou que é preciso "fechar a porta" ao terminal de contentores, pois os impactos são "de tal forma grandes que inviabilizam o projeto".

"Temos de fechar esta porta, este desejo e pensar no futuro do Barreiro com outros projetos", afirmou à Lusa Rui Braga, vereador do Planeamento e Gestão Territorial, reconhecendo que o terminal "era um projeto indutor de criação de emprego".

Ministro defende não realização de obras na zona
O ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, afirmou que os terrenos onde estava prevista a construção do terminal de contentores são "solos que têm uma capacidade de contaminação grande" e que, por isso, "é mesmo bom que estejam parados e que ali não se faça obra alguma, para evitar qualquer tipo de contaminação". Com a obra, explicou, não se podia garantir a qualidade da água do Tejo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)