Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Apoio excecional aos pais deve abranger crianças até aos 12 anos, defende CGTP

"Trabalhadores que estão obrigatoriamente em casa deviam ter logo tido a retribuição total", afirmou a secretária-geral.
Lusa 18 de Fevereiro de 2021 às 20:41
A CGTP defendeu esta quinta-feira, em Lisboa, que o apoio excecional aos pais "não é suficiente", sublinhando que este deve abranger, pelo menos, crianças até aos 12 anos.

"Não é suficiente. Os trabalhadores que estão obrigatoriamente em casa deviam ter logo tido a retribuição total e a garantia de que podiam estar a apoiar os filhos", afirmou a secretária-geral da CGTP, que falava aos jornalistas, após uma audiência com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, em Belém.

Apesar de notar que este apoio "é um passo de reconhecimento de que há um problema", Isabel Camarinha referiu que não faz sentido que esta ajuda não inclua pais com filhos até, pelo menos, 12 anos.

Ver comentários